Sinais que detectam o sofrimento fetal

Quando se fala em sofrimento fetal, quer dizer que algo vai mal antes ou durante o parto. Em geral, é detectado através da leitura dos gráficos do monitor fetal, onde ficam registradas todas as alterações na frequência cardíaca do feto. 

O ‘sofrimento fetal’ é um termo bastante amplo, usado para expressar uma situação de dificuldade no intercâmbio feto-materno, que coloca em perigo o feto podendo produzir lesões irreversíveis devido à diminuição do fluxo de oxigênio.

Causas do sofrimento fetal na gravidez

sinais-que-detectam-sofrimento-fetal A

O sofrimento fetal pode ser produzido por diversas causas: problemas devido a uma doença da mãe como a anemia, hipertensão ou doença cardíaca; problemas no feto como malformações, infecções, anemia ou hemorragias; problemas com a placenta como a degeneração, a insuficiência ou separação prematura da placenta; assim como problemas com o cordão, quando apresenta voltas ou nós que impossibilitam um intercâmbio adequado. Diante dessa situação se deve agir com rapidez para evitar possíveis consequências nefastas para o bebê. 

Se você estiver grávida, é inevitável que, quando tratamos de temas com este, você comece a tremer e apalpe o seu ventre para se assegurar de sentir o seu bebê; e isso, precisamente, é o que deve fazer: estar atenta aos possíveis sinais do seu filho, as mudanças nos seus movimentos ou a ausência deles. Você deve notificar o quanto antes qualquer temor ou dúvida ao seu médico. Ao longo da gravidez, os movimentos do bebê vão variar, já que ao ir crescendo, cada vez mais ele disporá de menos espaço no útero: ao invés de ficar dando chutinhos como um futebolista ele deverá se retorcer, girar ou cutucar com algum cotovelo ou joelhinho.

É provável que todas nós já tenhamos ouvido a respeito de alguma amiga ou familiar que teve que fazer uma cesárea de emergência: o aparecimento de mecônio (as primeiras fezes do bebê depois do parto) no líquido amniótico, ou por causa de voltas do cordão umbilical, ou por placenta prévia... Essas experiências fazem parte da nossa primeira aproximação a esta expressão tão terrível: ‘sofrimento fetal’. Mas, você deve saber que diante situações como as citadas, o normal, com o devido controle, é que tudo vá bem e nasça um precioso bebê sadio.  

A rapidez com que se diagnostica e a rápida ação dos especialistas são fundamentais nestes momentos: o protocolo de atuação da Sociedade Espanhola de Ginecologia e Obstetrícia (SEGO) estabelece como tempo limite para a extração do bebê de 30 minutos diante de qualquer suspeita de bem estar fetal, momento em que se estabelece a necessidade de um parto iminente, em geral mediante cesárea de emergência. Às vezes, o excesso de informação nos assusta, mas o normal é que uma gravidez seja controlada desde o princípio e que as mães prestem a atenção a todos os possíveis problemas futuros mediante exames de rotina que nos fazem em diferentes etapas da gravidez, como as ecografias, a manutenção da saúde da mãe e a monitorização regular. Assim que devemos confiar que estamos nas melhores mãos, ainda que ainda exista certa preocupação pela saúde e desenvolvimento do nosso bebê. Natural em todas as mamães!  

Patro Gabaldón

Redatora de GuiaInfantil.com

  • Síndrome do Alcoolismo Fetal
    Síndrome do Alcoolismo Fetal

    A gestante não pode beber uma só gota de álcool durante a gravidez. A ingestão de álcool durante os meses de gravidez representa um grande risco para a saúde do bebê que vai nascer. Ele poderá sofrer as consequências dos maus hábitos ou da falta de cuidado de sua mãe, para o resto de sua vida.

    • Profissões perigosas para as mulheres grávidas
      Profissões perigosas para as mulheres grávidas

      Algumas profissões são perigosas para a mãe e para o feto. Manipulação de produtos tóxicos ou exposição à radiação (perigo no primeiro trimestre de fetos malformados) são algumas delas.

    • Você sabia que a Síndrome do Alcoolismo Fetal não tem cura?

      Se você quiser que o seu bebê chegue ao mundo com saúde e em perfeitas condições, eu te aconselharia que não bebesse nem uma só gota de álcool durante a gravidez. Se você bebe, seu bebê pode sofrer consequências graves desse hábito para o resto da sua vida.

0 comentários