Como conciliar filhos e casamento

Como conciliar filhos, casa, casamento, trabalho e tudo o demais

O que acontece hoje nas famílias? Muitas estão se separando e outras, simplesmente se aguentam e sobrevivem. E nós nos perguntamos o porque isso está ocorrendo. Quais são as causas? Alguns casais atribuem à perda da convivência, outros às muitas horas de trabalho, ao distanciamento, e outras ainda, à responsabilidade e compromissos com os filhos. Não se pode generalizar o assunto. Cada família é única e o única coisa que podemos buscar, é fazê-los refletir sobre o tema, criando inquietações e vontade de viver o melhor do seu casamento.

A família: filhos e o casal

Como conciliar filhos e casamento

A família surge da consolidação de um casal. Primeiro,os jovens se conhecem e se apaixonam. Nesse período, eles se comunicam, falam dos seus projetos, inquietações, idéias e ideais, dos seus desejos mais profundos, e também dos seus medos. Um dia decidem casar-se e constituir uma família. A saúde do casal, ou seja, sua forma de viver, será o que determinará sempre o bem estar da família, e dos filhos. Se o casal se desestabiliza, isso refletirá em toda a família.

Cedo ou tarde, as dificuldades aparecerão. Em muitos casos, depois da chegada dos filhos essas dificuldades aumentam por diversos motivos:

- O aumento de responsabilidades. Adquirimos a responsabilidade de um filho até que ele possa se responsabilizar por si mesmo. 

- A exaltação da maternidade. A mulher deixa de ser esposa e pessoa e se torna apenas em mãe; o pai pode sentir-se deslocado.

- Coincidência do momento da maternidade com o momento do desenvolvimento profissional. Exige que nos foquemos mais no trabalho.

- Diferentes critérios educativos. A mãe e o pai não conciliam esses critérios e isso acaba provocando brigas ou o distanciamento do casal. Os pais não devem tirar a autoridade um do outro. Uma decisão em relação ao filho deve ser de comum acordo.

- Menos tempo para o casal. Os filhos, muitas vezes requerem mais atenção do que o normal, e isso faz com que o casal tenha menos tempo para estar juntos.

- Problemas econômicos. Ainda que os filhos não são o único desafio na relação entre os casais, também influenciam os problemas econômicos, as famílias políticas, muito trabalho fora de casa, o desejo de muitos pais em alcançar melhores postos no trabalho, melhores salários, etc. Além disso as dificuldades com a chegada de crises financeiras também influi negativamente na relação do casal, se entre eles não houver afinidade e compreensão. 

A comunicação faz a diferença

Tudo isso nos faz refletir. Seria conveniente que pensássemos em casais especiais, o que eles têm de diferente? Segundo alguns estudos, uma das diferenças mais importantes entre esses casais e os demais, é a profundidade na sua comunicação. Com o tempo, o diálogo do casal vai enfraquecendo e empobrecendo. Não se pode ignorar que somos pessoas diferentes, com necessidades distintas, inquietações, desejos, e medos. Custa-nos reconhecer e aceitar o outro como ele é. Diante dessas dificuldades, muitas vezes nos calamos e aí é onde começa a deterioração do diálogo. Uma coisa está clara: um casal, por mais tempo de convivência que tenha, nunca deixa de se conhecer.

Uma profunda relação depende de:

- Uma maior profundidade na comunicação.

- Uma maior necessidade de melhorar nossa capacidade para escutar. E de nos colocarmos no lugar do outro. 

- Uma melhor linguagem NÂO verbal. As ações dizem muito mais que as palavras.

Algum dia nossos filhos terão sua própria família e encontrarão desafios parecidos com os que enfrentamos hoje. É necessário refletir e perguntar ao casal: Pudemos ensiná-los ou transmití-los como resolver seus problemas de casal? Nós os preparamos para superar suas dificuldades? A resposta estará no seio familiar de hoje, no exemplo que damos no dia-a-dia. Por isso, não podemos nos conformar em sermos um casal medíocre. O bem estar de um casal é uma construção diária, e dos DOIS.

Fonte consultada:
- Conferência Como viver com seus filhos e que seu casamento não morrer tentando, Susana Pradera e José Luis Mata, da Associação Encontro Matrimonial.

  • Reação dos filhos ao divórcio
    Reação dos filhos ao divórcio

    Quanto menor a criança, mais dificuldades terá para entender o porque da separação dos seus pais. A sua reação dependerá muito da forma em que os seus pais encaram o processo de separação.

    • O divórcio e os filhos

      O divórcio dos pais e as consequências para os filhos. Brasil já registra um divórcio para cada quatro casamentos. A taxa de divórcio em 2007, quando se completou 30 anos da instituição do divórcio no Brasil, atingiu o pico da série iniciada pelo IBGE em 1984 e chegou a 1,49 divórcios por cada mil habitantes, crescimento de 200% em relação a 1984, quando era de 0,46 por mil. Em números absolutos os divórcios concedidos passaram de 30.847, em 1984, para 179.342 em 2007.

3 comentários

  • e
    eder da rosa alves

    05/03/2013 01:46

    obrigado por este espaço.e por ajudar esta tarefa dificil de ser pai e mae,ja que nao se ensina na escola esta area, acho que deveria ter uma classe nas escolas de como formar uma familia,quase sempre ou sempre temos as mesmas dificuldades os casais,o mais importantante es dar amor as crianças e falar sempre com a verdade,nao mentir jamais,e dar o espaço para eles se esplicarem.que eles sintam que sua opiniao tamben vale.

    Avaliar
    Responder
  • J
    Jesiane Munhoz da Silva

    24/02/2013 19:56

    Achei interessante

    Avaliar
    Responder
  • H
    Henderson

    16/04/2012 13:40

    Leia!

    Avaliar
    Responder

Página: 1 de 1 (3 Artigos)