A ocitocina durante o aleitamento materno

O hormônio que estimula a saída do leite

A ocitocina é o hormônio mais famoso dentre os hormônios, e é conhecido como o hormônio do amor. E é assim porque é liberado com uma carícia, um beijo, um abraço, o sexo ou inclusive ao comer chocolate. 

Este hormônio tem um papel fundamental durante o parto, já que é responsável para o início das contrações que permitirão com que o colo do útero se dilate para que o bebê possa nascer. Além disso, sua função é básica durante o aleitamento

A função da ocitocina durante o aleitamento materno

a-ocitocina-durante-aleitamento-materno A

O que é a ocitocina? A glândula pituitária é quem a produz, e, quando está presente no sangue, se desencadeiam uma série de reações nas pessoas.

Este hormônio tem um trabalho fundamental durante o aleitamento. Quando o bebê suga o mamilo é gerado um estímulo que chega até o hipotálamo e provoca a liberação da ocitocina em forma de pulsos. Estes pulsos estimulam, por sua vez, a produção de prolactina. 

Enquanto a prolactina é a encarregada de estimular a produção de leite, a ocitocina estimula as células que rodeiam os alvéolos. Dessa maneira, o tecido mamário se contrai e o leite pode sair pelas glândulas mamárias. 

No entanto, nem sempre esta estimulação ocorre quando o bebê está sendo amamentado. Algumas mulheres ao escutar o bebê chorar, abraçá-lo ou pelo simples fato de pensar no bebê faz com que a ocitocina seja liberada e por isso o leite suba. 

Durante os primeiros dias do aleitamento, muitas mulheres sentem contrações uterinas, também chamadas de espasmos. São provocados da mesma forma pela ocitocina e ainda que possam ser dolorosas, são muito importantes para a recuperação pós-parto, já que ajudam com que o útero se contraia e regresse ao seu tamanho prévio à gravidez. 

Alba Caraballo

Editora de GuiaInfantil.com

0 comentários