O bebê prematuro

O desenvolvimento, o aspecto e a sobrevivência dos bebês prematuros

No momento do seu nascimento, todos os bebês são classificados em função da quantidade de semanas que esteve em gestação. Considera-se um bebê prematuro o que nasce antes das 37 semanas de gravidez. Se nascer entre a semana 37 e a semana 42 da gravidez, será um bebê considerado dentro dos parâmetros normais para se nascer. E se nasce depois da semana 42, classifica-se como um bebê pós-maduro.

O aspecto e o desenvolvimento de um bebê prematuro

O bebê prematuro

Hoje em dia se considera normal que um bebê nasça um pouco antes ou um pouco depois da data estimada, ainda que seja o ideal que a duração média de uma gravidez seja de 40 semanas contadas desde o primeiro dia da última menstruação. Antigamente um caso de nascimento prematuro era uma causa importante de morte infantil. Desconhecia-se que bebês nascidos nessas circunstâncias necessitavam de cuidados especiais e as técnicas médicas eram escassas.

Atualmente, a sobrevivência dos bebês prematuros é cada vez maior. Segundo dados das últimas estatísticas, de todos os bebês que nascem, inclusive na semana 28, oitenta por cento sobrevivem. O menor bebê nascido no Brasil, e que sobreviveu, pesava 365g e 27 cm de comprimento. No mundo inteiro, até o primeiro semestre de 2012, só 138 bebês prematuros com menos de 400 gramas sobreviveram.

Características comuns dos bebês prematuros

- Baixo peso ao nascer, ou seja, com menos de 2,5 Kg.

- Pele lisa, fina, brilhante, quase translúcida.

- Pele transparente avermelhada, através da qual se podem ver facilmente algumas veias.

- Cartilagem do ouvido suave e flexível.

- Presença de uma penugem especial (lanugo) no corpo.

- Baixa temperatura corporal.

- Frequência respiratória rápida.

- Choro fraco.

- Sucção e capacidade de engolir fracas.

- Clitóris alargado, nas meninas.

- Escroto pequeno e desprovido de dobras nas crianças.

 Os sinais de parto prematuro

 Existem alguns sinais que podem indicar um possível nascimento prematuro. Se uma mulher grávida apresenta alguns desses sintomas, deve procurar um hospital com urgência:

1. Quatro ou mais contrações em uma hora, antes das 37 semanas de gestação.

2. Perda de líquido amniótico pela vagina, que pode indicar a ruptura prematura das membranas que protegem o bebê.

3. Pressão na pélvis ou sensação de peso, que pode indicar que o bebê está descendo pelo canal do parto.

4. Câimbras menstruais ou dor abdominal.

5. Dor ou tensão rítmica no baixo ventre ou costas.

6. Sangramento vaginal. Uma gestação completa é a que conta 280 dias. Se um bebê nasce antes desse tempo, não poderá completar todo seu desenvolvimento e será mais imaturo dependendo do tempo que tenha faltado para estar totalmente desenvolvido. Mas isso não quer dizer que este bebê não possa recuperar-se.

A prematuridade do bebê

Quando se fala de um parto prematuro, estabelecem-se as medidas necessárias para oferecer os cuidados apropriados ao bebê e à mãe. A avaliação imediata do bebê é o primeiro passo para estabelecer suas necessidades. Em geral, os bebês prematuros são incapazes de coordenar a sucção e o engolir antes da semana 34 de gestação, e necessitam ser alimentados através de sonda até receber leite materno.

Dependendo do grau de prematuridade do bebê, é possível que não comece a respirar imediatamente depois do seu nascimento, ou que seu esforço respiratório seja inadequado para a expansão torácica e à oxigenação corporal, com o qual deverá receber o apoio e a assistência necessária para superar essa deficiência.

  • Sétimo mês de gravidez
    Sétimo mês de gravidez

    Desenvolvimento do bebê no sétimo mês de gravidez. O feto pode abrir e fechar os olhos, chupar o dedo e chorar. Faz exercício chutando e se estirando. O feto responde à luz e ao som. Se nascesse agora, o feto teria uma boa probabilidade de sobreviver. O feto agora mede 40 cm e pesa 1200 g.

    • Pré-eclampsia e eclampsia na gravidez
      Pré-eclampsia e eclampsia na gravidez

      A pré-eclampsia e a eclampsia podem ocorrer nos últimos meses da gravidez. Também conhecida como por toxemia gravídica, a pré-eclampsia se trata de um problema que ocorre em algumas mulheres durante a gravidez. Pode acontecer a partir do quinto mês, e com mais frequência durante a primeira gravidez de uma mulher, naquelas mulheres cujas mães ou irmãs tiveram pré-eclampsia.

1 comentários

  • p
    priscila

    03/10/2012 17:22

    gostei muito pois estou passando por isso.O meu bebe quer nascer antes dos 9 meses.

    Avaliar
    Responder

Página: 1 de 1 (1 Artigos)