Alimentação vegetariana e as crianças

As crianças podem seguir uma dieta vegetariana desde quando não sejam tão rígidas. Existem muitas razões para que as pessoas decidam se converter em vegetarianas. Algumas pela conservação do ambiente e dos animais, outras por crenças religiosas, e outras ainda por crerem ser uma dieta mais saudável.

Mas, o que significa ser vegetariano? Em regra geral, uma pessoa vegetariana se define como aquela que, por crenças pessoais, se abstêm de comer carne, inclusive aves, porco ou peixe.

Os vegerarianos podem decidir se consomem ou não outros produtos animais, como os ovos, leite, queijo ou mel. No caso que decidam consumir esses alimentos derivados, são denominados como ovo-lacto-vegetarianos. Mas as pessoas mais radicais, que não comem nenhum produto, são conhecidas como vegetarianos rígidos. Muitos deles decidem inclusive a não vestir-se com roupas que contenham produtos animais, como couro, lã ou seda.

Dieta vegetariana saudável

Dependerá da atenção que tenha à dieta que siga. Deverá assegurar-se de consumir minerais (ferro, cálcio), e vitaminas D e B12. Ao consumir alimentos com frutas, vegetais, legumes, grãos, frutos secos, soja, etc., pode manter-se saudável, ainda que possa ser que necessite de um complemento vitamínico. Tudo depende de como segue a dieta e das necessidades que tenha o seu organismo.

Crescimento e desenvolvimento

Quando se decide e se opta por impor uma dieta diferenciada à uma criança, seja por qualquer motivo, primeiro é importante consultar seu pediatra, para poder seguir alguns cuidados nutritivos, e assegurar-se de que a mudança não afetará de forma seu crescimento e desenvolvimento. Segundo especialistas, as crianças podem seguir uma dieta vegetariana desde que não seja tão rígida. Os resultados de alguns estudos em que se comparou a dieta de crianças vegetarianas com a de crianças não vegetarianas (omnívoros), conclui que uma dieta ovo-lacto vegetariana proporciona um desenvolvimento e crescimento físico adequado, como qualquer outro tipo de dieta.

0 comentários