Atividades incompatíveis com a gravidez

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A gravidez não tem porque nos impedir de levar uma vida absolutamente normal, sempre e quando tenhamos uma vida saudável. Alimentar-se bem, trabalhar dentro e fora de casa, cuidar dos filhos e inclusive praticar exercícios físicos fazem parte do normal. O exercício físico para a gestante é altamente recomendável, pois contribui com benefícios tanto para o bebê como para a futura mamãe, ajuda a controlar o peso, a ter uma boca condição física e atua positivamente no estado de ânimo. 

Atividades para as gestantes 

No entanto, ainda que isso seja uma realidade para a maioria das gestantes, tem que ser de acordo com a forma física que a mulher tenha previamente à evolução da sua gravidez e do tipo de atividade física que ela pratica. Nunca uma grávida pode chegar ao esgotamento ou deve praticar esportes perigosos para o seu novo estado. 

Temos que levar em conta que existem atividades que são saudáveis quando não se está grávida. Algumas atividades devem ser abandonadas quando buscamos uma gravidez ou já sabemos que estamos grávidas. Há pouco tempo, a famosa e brilhante dançarina de flamenco, Sara Baras, anunciou sua saída temporal dos palcos porque buscava ser mamãe e o seu médico disse que sua atividade era incompatível com a gravidez. O nível de exigência de algumas atividades físicas, especialmente quando são exercidas de maneira profissional, requer um esforço extra ao corpo da mulher que ultrapassa os limites de uma gravidez saudável, o que inclusive pode impedir a concepção ou a implantação do embrião no útero. 

Aquelas mulheres que praticam esportes de contato, equitação ou mergulho, as desportistas de competição ou bailarinas profissionais devem abandonar temporariamente sua atividade física quando quiserem ser mães ou pelo menos diminuir muitíssimo o ritmo exigido. Eu fiquei impressionada com o que Sara Baras disse numa entrevista em que mostrava sua prioridade em ser mãe: ‘vou sair por um momento para ser mãe’. Buscar a maternidade nesses casos mostra uma nova perspectiva que a gravidez nos ensina. Ser mãe também é uma importante profissão da qual todas nós temos que aprender e que nos enriquecerá em outras facetas relevantes da nossa vida, assim que, com certeza, essa excelente bailarina poderá incorporar à sua profissão, após a sua maternidade, uma maior energia e mais inspiração, se é que isso é possível, tratando-se de Sara Baras.

Patro Gabaldón

GuiaInfantil.com