Crianças diabéticas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Pode-se prevenir o diabetes desde o nascimento dos bebês. O diabetes é a segunda doença crônica mais comum na infância. Antigamente era uma doença apenas dos adultos, mas com o crescimento do índice de obesidade infantil, associada a uma vida sedentária e aos maus hábitos alimentares, os casos de diabetes aumentaram consideravelmente entre meninos e meninas.

O diabetes se caracteriza por uma alteração na produção do hormônio insulina pelo pâncreas ou uma resistência à ação da insulina pelo organismo. É a insulina qua ajuda o organismo a transformar o açúcar (ou glicose) em energia, promovendo assim um bom funcionamento do corpo humano.
Na falta da insulina a glicose se concentra no sangue e apenas uma pequena parte passa para o interior da célula, de uma maneira que esta célula fique se estivesse subnutrida.

Nesta situação, a pessoa pode se sentir cansada, indisposta, comer muito, ter muita fome, acordar a noite para urinar, urinar várias vezes durante o dia e ter muita sede. A dificuldade de cicatrização, o acometimento da visão, de circulação e a impotência sexual masculina são algumas das complicações quando o diabete não é controlado.

A quantidade de insulina

A quantidade de insulina liberada, depende da quantidade de açúcar que se ingere. Se consumimos mais alimentos ricos em carbohidratos (batatas, açúcar, massas, arroz, biscoitos, etc.), estaremos exigindo que o pâncreas trabalhe muito mais que o normal. Quando os níveis de açúcar (ou glicose) que circulam pelo sangue, apresentam um aumento importante, a essa glicose chamamos glicemia.

O número de crianças afetadas com essa doença varia muito segundo o país de origem. O diabetes é uma doença crônica grave que, se não for bem controlada, pode provocar complicações sérias e até levar à morte.

Dados da Organização Mundial de Saúde indicam que pelo menos 170 milhões de pessoas sofrem da doença atualmente. Em 2025, este número deverá atingir 300 milhões de pessoas. No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas têm diabetes e metade delas desconhece sua condição.

Na Espanha, por exemplo, estima-se que existam aproximadamente 30 mil casos de diabetes em crianças menores de 15 anos. E apesar da origem da doença ser distinta, os especialistas afirmam que cerca de 90% dos casos se referem à Diabete tipo 1. Esse tipo de diabetes aparece subitamente e pode surgir a partir das primeiras semanas de nascimento, até os 30 anos de idade, ainda que é no período de 5 a 7 anos, e durante a puberdade, que a doença tende ser mais comum.

O Diabetes tipo 1 é aquela que necessita de insulina injetada para regular os níveis de glicose no sangue, ainda que tenha estudos que garantem que as crianças que praticam esporte regularmente, poderiam ter melhores níveis de glicose no sangue do que as que não praticam.
O Diabete tipo 2 é hereditária e ocorre quando as células resistem à ação da insulina.


Como prevenir o diabetes infantil nas crianças

Pode-se prevenir essa doença a partir do nascimento das crianças. A prevenção pode começar com a lactância materna, evitando assim a alimentação artificial, rica em açúcares desnecessários durante essa fase.

Para evitar a obesidade infantil, assim como o diabete, é necessário que as crianças desfrutem de uma alimentação saudável, assim como atividades físicas, evitando que levem uma vida sedentária, permanecendo muito tempo diante da televisão, computador ou videogames.

As crianças precisam de uma dieta rica em fibras e pobre em açúcar. O ideal seria diminuir a ingestão de açúcares de absorção rápida como o açúcar refinado, moreno, cristal e de mel, e substituí-los por açúcares que já existem nas massas, e frutas.

Consequências da diabetes nas crianças

O diabetes pode causar a longo prazo, se não for tratada devidamente, perda da visão, infarto, hipertensão, derrame, impotência sexual, doenças pulmonares e insuficiência renal.