Cuidados contra a contaminação do vírus da influenza suína

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com
Não existe vacina contra o vírus da influenza suína, responsável por essa Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional que afeta principalmente a México y Estados Unidos. Si você viajou ou viajará para as zonas afetadas é muito importante ter alguns cuidados, principalmente se viaja acompanhado de crianças e bebês.

Cuidados contra a contaminação do vírus da influenza suína

  • Usar máscaras cirúrgicas descartáveis, durante toda a permanência em áreas afetadas. Substituir as máscaras sempre que necessário.
  • Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável. 
  • Evitar locais com aglomeração de pessoas. 
  • Evitar o contato direto com pessoas doentes. 
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal. 
  • Evitar tocar olhos, nariz ou boca. 
  • Lavar as mãos freqüentemente com sabão e água, especialmente depois de tossir ou espirrar. 
  • Em caso de adoecimento, procurar assistência médica e informar história de contato com doentes e roteiro de viagens recentes a esses países. 
  • Não usar medicamentos sem orientação médica.

Desde 25 de abril de 2009, foi instituído o Gabinete Permanente de Emergência, no Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde (CIEVS) da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) no Brasil, para monitorar a situação e indicar as medidas adequadas ao país. Formado por representantes do Ministério da Saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o grupo se reúne diariamente, em Brasília.
 
As Coordenações Estaduais de Vigilância em Saúde foram orientadas para notificar imediatamente a ocorrência de casos suspeitos ao Ministério da Saúde e recomenda-se aos profissionais de saúde das redes pública e privada que estejam atentos para a notificação de possíveis casos suspeitos.
 
Com relação à sanidade animal, no Brasil, não há suspeita ou registro de gripe suína causada pelo mesmo agente identificado nas áreas afetadas. Além disso, o consumo de produtos de origem suína não representa risco à saúde das pessoas.