Cianose

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Coloração azulada da pele do bebê. Sintomas, causas e tratamento nas crianças com cianose. Cianose é a coloração azulada da pele e das mucosas, sobretudo nos lábios, ao redor da boca e nas mãos e nos pés. Nos recém-nascidos, é frequente uma leve cianose sobretudo quando sentem frio. A cianose generalizada se deve a doenças respiratórias graves, assim como malformações cardíacas em que se mistura o sangue venoso e o arterial.

A cianose central acontece quando o sangue que vem dos pulmões para a periferia do corpo já chega com pouco oxigênio, o que ocorre em algumas doenças do pulmão ou do coração. A cianose periférica geralmente é provocada quando o coração não tem a capacidade de enviar uma quantidade adequada de sangue para a periferia ou é causada por uma lentificação local da circulação.
Ela aparece quando a circulação do sangue nas veias periféricas, por exemplo, nas veias das mãos ou do rosto, se torna muito lenta. O oxigênio que o sangue contém é transferido para as células e o sangue se torna pobre em oxigênio, azulado e com isso - onde a pele for mais delgada, nas mucosas ou nos lábios, por exemplo - aparece uma cor azulada.
A cianose periférica em 50% dos casos desaparece colocando a parte cianótica em água morna.
A diferencial é a cianose que aparece em alguma parte do corpo, ou só nas pernas, ou só nos braços e geralmente é indicativa de doença congênita do coração.

Causas da cianose nas crianças

Quando a pele apresenta tons azulados, quer dizer que os glóbulos vermelhos estão mal oxigenados. A coloração da pele está determinada pela quantidade de pigmento que possui e pelo fluxo sanguíneo que circula através dele. O sangue saturado com oxigênio é de cor vermelho vivo, e o sangue que perdeu seu oxigênio é de cor azul escuro. As pessoas que têm uma alta porcentagem de sangue deficiente em oxigênio, tendem a ficar com uma coloração azulada denominada cianose.

Tratamento da cianose

Para a cianose causada pela exposição ao frio, devem-se utilizar roupas quentes quando estiverem em ambientes externos ou permanecer em um quarto com boa calefação. Em todos os casos, deve-se consultar ao pediatra imediatamente. O médico realiza um exame físico, o qual envolve escutar os ruídos respiratórios e cardíacos. Em situações de emergência (como choque), primeiro deve-se estabilizar o paciente.