Herpes infantil

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O que é o herpes. Causas e cura do herpes infantil. O herpes é uma infecção viral frequente que se apresenta em duas variedades: O herpes tipo I, a mais comum tanto em crianças como em adultos. Produz lesões ao redor da boca em forma de aftas (herpes). O natural é que quando apareça esse tipo de infecção, a criança perca o apetite, devido às lesões que começam em uma área avermelhada, que se abre e deixa sair um líquido opalino.

Depois se forma uma crosta. O herpes tipo II, o Herpes Zoster, afeta, sobretudo, a adultos, e é mais frequente na região genital. Os episódios de ocorrência do herpes viral, não produzem sintomas gerais como febre. Limita-se apenas à área afetada.

Herpes simples

Dá em surtos, por isso é chamado de gripe da pele, porque vai e volta. Pelo menos 90% da população já teve contato com o vírus da catapora, causador da herpes, que se desenvolve em 40% dos infectados.

Herpes zoster

Acomete nervos e pele, causando dor terrível, de pessoas com baixa imunidade. Geralmente ataca os nervos que ficam entre as costelas (na horizontal) e o nervo trigêneo da face, a partir da orelha. Pode durar de quatro a seis semanas, mas a dor permanece por meses ou anos, quase enlouquecendo a pessoa.

Causas do herpes em crianças e bebês

É produzida pelo vírus Zoster, o mesmo que produz também a varicela. O vírus fica alojado nas células dos gânglios nervosos sensitivos que enervam essa região e podem reativar-se diante de situações de estresse, baixas defesas (crianças), febre, exposição ao sol, menstruação (nas adolescentes).

Tratamento do herpes em crianças e bebês

O primeiro é consultar ao médico. Todo o tratamento está dirigido a diminuir a duração da etapa aguda que normalmente dura uma semana, através do uso de um xarope ou comprimidos que têm capacidade de diminuir notavelmente a duração dos sintomas. O que não se deve ignorar é que o processo pode repetir-se muitas vezes na vida. Os cremes antivirais não são efetivos. E os antibióticos serão indicados pelo médico somente em casos de grande infecção.


Formas de Contágio

Beijo

É uma forma de contágio fácil, mesmo que a pessoa não tenha nenhuma ferida aparente, pode ser portadora do vírus, o que é suficiente para infectar o outro, mas não significa que a doença irá se manifestar.

Copo

Beber água no mesmo copo de uma pessoa portadora do vírus também facilita o contágio. A pessoa também pode se contaminar apenas estando em um ambiente onde há alguém com o vírus.

Sol

A radiação dos raios ultra-violeta (UVA e UVB) agem bloqueando a ação das células de defesa do organismo e reduzindo a proteção imunológica. Estresse, fadiga, cigarro, bebida alcólica em excesso e menstruação também baixam a resistência imunológica.