Rubéola

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A rubéola é uma infecção viral de maior frequência na infância e de desenvolvimento habitualmente benigno. Pode ser praticamente assintomático ou apresentar-se com febrícula ou febre de forma inconstante. Erupção tênue rosada que começa no rosto e tórax, generalizando-se em todo o corpo em aproximadamente 24 horas. As manchas desaparecem de 1 a 5 dias. É frequente encontrar gânglios na região da nuca e na região posterior das orelhas e podem ser dolorosos. É frequente a dor de garganta (faringite).

Causas da rubéola em crianças e bebês

É uma enfermidade viral, e portanto contagiosa. O período de incubação é entre 10 e 23 dias. O período de contágio acontece entre 1 ou 2 dias prévios à aparição da erupção até 6 ou 7 dias logo depois. 

Tratamento da rubéola em crianças e bebês

A infecção por rubéola pode ser prevenida por vacinação. A Organização Mundial da Saúde recomenda dar a primeira dose entre 12 e 18 meses de idade e a segunda com 36 meses de idade. Existem também campanhas de vacinação em adultos para combater a síndrome da rubéola congênita. Mulheres grávidas não devem ser vacinadas, pois a vacina contém vírus vivo.

É preventivo com a aplicação da vacina tríplice viral (SRC). A vacina evita a transmissão da doença e consequentemente a incidência de Rubéola Congênita. A infecção intrauterina por Rubéola pode causar malformações congênitas múltiplas (surdez, retardo no crescimento intrauterino, transtornos oculares, malformações cardíacas, etc.) ou aborto (no primeiro trimestre). A SRC é encontrada na Rede Pública de Saúde. Depois da aplicação pode ocorrer febre baixa e coriza. Caso a febre ultrapasse 38o.C, pode-se usar um antitérmico.