O castigo físico na infância

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Bater nos filhos deve ter um sentido. Existem muitas formas de entender o castigo físico. Muitas formas de explicá-lo e definí-lo. No entanto, existe uma que reúne os variados conceitos: o castigo físico é o uso da força, causando dor, mas não feridas, com o propósito de corrigir uma conduta não desejável na criança. Essa definição foi difundida por “Save the Children” (Salve as crianças), dentro da campanha “Eduque, não bata”, empregada para a sensibilização contra o castigo físico na família.

Todos temos vivido situações de castigo físico alguma vez. Uma surra, um cascudo, ou uma palmada, é usado por muitos pais para dar um basta à rebeldia ou a desobediência dos filhos. São cenas tão cotidianas em nossa sociedade que a muitos não estranham mais. No entanto, é algo que faz sentir mal não apenas a criança, mas aqueles que aplicam o castigo. E por que será? Nunca se pergutou porque se sente tão mal depois de bater no seu filho?

Educar ou bater

A prática do castigo físico está fortemente enraizada em nossa sociedade, transmitida através de gerações, mas isso não quer dizer que seja a melhor maneira de se educar uma criança. Como pais, e dentro de uma sociedade que cada dia se preocupa mais com a educação das crianças, devemos buscar alternativas mais construtivas e positivas, que estimulem seu desenvolvimento sadio, e que nos faça sentir bem a todos. Não queremos declarar culpados os que usam o castigo físico como norma de educação. Só queremos que despertem e experimentem outras formas mais construtivas de educar. O bater não ensina, não educa, só representa ameaça e submissão das crianças. O castigo ensina a criança a ter medo e a ser submisso a tal ponto de diminuir sua capacidade para crescer como pessoa autônoma e responsável.

Por que os pais batem nos seus filhos

Existem muitos motivos porque os pais recorrem ao castigo físico:

- Porque consideram oportuno para a educação dos seus filhos

- Porque o utilizam para descarregar seu nervosismo

- Porque precisam de recursos suficientes para enfrentar uma situação difícil.

- Porque não possuem as habilidades necessárias para conseguir o que querem

- Porque não definem bem as situações sociais que enfrentam

- Porque não conseguem controlar suas emoções

Se refletirmos sobre os motivos que levam os pais a baterem nos seus filhos, damo-nos conta de que precisam de algum sentido. Não se justifica o castigo físico, e não convencem como forma de educação. Os efeitos que produzem o castigo físico causam dano a todos, pais e filhos. Portanto, sua erradicação é uma obrigação ética.

“Ensina a criança o caminho que deve andar, e quando ainda for velho, não se desviará dele” (provérbio de Salomão).