Os maus hábitos das crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Como se adquire um mal hábito. Muitos pais não sabem o que fazer para que seus filhos abandonem algum mal costume como roer as unhas, chupar os dedos, enrolar os cabelos no dedo, enfiar o dedo no nariz, dizer palavrões, etc. E muitos deles têm razão em preocupar-se,  já que alguns costumes que se iniciam na infância, podem conservar-se até a idade adulta.

Além disso, por trás de cada mal costume, existe algo que possa justificá-lo. Ou seja, que o mal hábito pode ser apenas uma forma que a criança tenha de expressar algo que a esteja molestando.

É necessário estar atento, e sempre que possível, deve-se cortar o mal pela raiz. Mas sem agonia nem ansiedades, porque neste caso os resultados podem não ser nada bons. Com paciência, determinação e muito carinho, tudo se soluciona para o bem das crianças.

Segundo o Dr. Pedro Barreda, nem todas as manias ou atos repetitivos são motivo de preocupação. Dependem da idade da criança, das circunstâncias e da frequência com que apareça o hábito. Às vezes, simplesmente se tratam de gestos que pertencem à sua linguagem corporal.

Como uma criança adquire um mal hábito?

Existem alguns motivos pelos quais uma criança começa a repetir uma má ação. Uma das vias para adquirir um mal hábito é a imitação. As crianças, principalmente as mais pequenas, aprendem imitando. Em casa, as crianças imitam aos seus pais e/ou irmãos. Na escola, aos seus companheiros. Se a criança, nem todas, convivem com alguém que pisca os olhos três por quatro, é provável que com o tempo chegue a imitá-lo e inconscientemente se inicia um hábito. O mesmo ocorre se os pais dessa criança falam palavrões todos os dias. Como irão querer que seus filhos não aprendam o mesmo? Devem introduzir bons hábitos na vida das crianças, e tudo começa na família, em casa. 

Outra via de aquisição de um mal hábito, pode tratar-se de sinais que a criança emite quando não encontra, nem tem palavras para expressar o que sente ou o que lhes preocupa. Acabam comunicando-se através de algum mal costume. Em crianças maiores, o mesmo pode acontecer se elas não encontram diálogo na família, ou não são entendidas pelos seus pais. Acabam adquirindo um mal hábito para chamarem a atenção. É provável que nestes casos, a criança desabafe em uma má ação que se converterá, em muitos casos, e com o tempo, num mal hábito.