Controle dos maus hábitos das crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Muita paciência e carinho para acabar com um mal costume. Alguns costumes nas crianças tiram os pais do sério. E a maioria não sabe o que fazer para controlar o mal hábito. Perguntam-se se a criança faz de propósito ou se o faz porque lhe ocorre algo.
Trata-se de algo passageiro, ou realmente se trata de um problema? Como ficamos? Em alguns casos isolados, o hábito deixa de ser um hábito para passar a ser o resultado ou a causa de um problema físico ou psicológico.

Quando um hábito da criança se converte em um problema

Segundo Kim Rutherford, de kidshealth.org, o hábito pode ser um sintoma de uma enfermidade mais séria. Por exemplo, uma criança que mexe no nariz, pode sentir-se incômoda porque introduz um objeto no nariz, ou porque o sangue seco de uma hemorragia nasal está fazendo que machuque e doa. Uma criança que chupa constantemente o dedo pode estar sofrendo ansiedade grave e debilitante. 

Apesar dos hábitos poderem ser benignos, um mal costume que chegue a produzir danos ou lesões corporais na criança, deixa de ser um hábito para converter-se em um problema mais sério. Se uma criança roe as unhas o tempo todo, poderá desenvolver infecções. E se chupa os dedos, pode desenvolver problemas de formação dental. Se a criança é objeto de confusões na escola, ou tem dificuldade para falar porque não tira o dedo da boca, seu comportamento vai mais além de um simples hábito. Quando um hábito se produz com tanta frequência, pode converter-se em um comportamento obsessivo e pode afetar as relações sociais da criança ou interferir no seu funcionamento diário. Nestas situações, os pais deveriam consultar ao pediatra ou a um profissional especializado.

Como tirar o mal hábito

Segundo a Dra. D’Arcy Lyness, psicóloga pediatra de kidshealth.org, a maioria dos hábitos desaparecem. Existem alguns passos para tratar de evitá-los:

- Diga claramente ao seu filho o que não gosta em seu comportamento. Diga como “Não gosto quando rói as unhas. Não é bom. Pode tentar deixar de fazê-lo?” 

- Evite censurar ou castigar seu filho. Não o deixe passar ridículo nem o critique. Poderia conseguir que o comportamento viesse a piorar.

- Anime seu filho que abandone este mal costume. Diga claramente e positivamente como quer que se comporte. Em lugar de dizer “Não roa as unhas”, tente com “O que você acha de deixar as unhas crescerem?” Existem substâncias de sabor ruim para os dedos. Podem ser de ajuda para evitar que a criança roa as unhas, não obstante, o uso contínuo acaba com sua eficácia. 

- Recompense e premie seu filho quando demonstrar autocontrole. Permita que sua pequena pinte as unhas. Permita-lhe que veja televisão um pouquinho mais, e coisas do estilo.

Do mesmo modo, que os hábitos demoram tempo para desenvolverem, levará tempo (três semanas ou mais) substituí-los por outro comportamento alternativo. Tenha paciência.