Prevenção de acidentes de crianças na Piscina

O que fazer para que as crianças estejam seguras nas piscinas

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Existe um ditado que diz 'é melhor prevenir que curar', e tem toda a razão. A prevenção de acidentes, por exemplo, especialmente na infância, é imprescindível, já que nesta etapa as crianças estão mais expostas aos riscos e perigos, pela sua inexperiência.
A prevenção de acidentes na piscina é importante. Além de buscar que a piscina onde estará a criança esteja limpa e cumpra com as normas de higiene mínimas, é necessário mantê-la segura, prevenindo os acidentes e riscos de afogamentos das crianças.

Regras para a segurança das crianças na piscina

Os riscos de uma criança na piscina

1- Coloque limite para a criança ao redor da piscina. Cerque a área da piscina e feche o acesso com um portão que não possa ser aberto por uma criança. A criança nunca deve permanecer na piscina sem observação.

2- Diga e se faz falta repita todos os dias ao seu filho que não ande nem corra na área da piscina. Os pisos próximos às piscinas são escorregadios. As crianças só devem entrar e sair da piscina através das escadas.

3- Se o seu filho já tem idade e já sabe mergulhar de cabeça na piscina, aconselhe-o para que não mergulhe em piscinas rasas. Tanto ele como os pais devem vigiar bem antes de mergulhar, para evitar colisão com outros mergulhadores ou golpear a cabeça no fundo da piscina.

4- Ensine o seu filho a ser responsável na piscina e a respeitar as suas limitações. Que ele nade somente na profundidade em que se sinta confortável e seguro.

5- A criança deve ser acompanhado mesmo que a piscina seja assegurada pela presença de um salva-vidas, é útil manter uma companhia que o observe enquanto ele nada, até que realmente tenha segurança para nadar sozinho.

6- Não permita que o seu filho faça brincadeiras violentas na piscina, como empurrar,  brincar de afogar, etc. Não é aconselhável que ele faça brincadeiras de lutas ou “cavalinhos” na piscina. Uma batida da cabeça nas paredes pode levar à inconsciência e resultar em afogamentos.

7- Se a criança comer, não deve nadar depois. O ideal é que espere pelo menos uma horinha para que se faça a digestão. Nadar com a barriguinha cheia pode causar transtornos gastrointestinais.
8- Mantenha a piscina sempre limpa e saudável. Ensine o seu filho a usar uma ducha antes de entrar na piscina e que nunca entre com comidas e bebidas na mesma. Além de poder respingar bebida e sujá-la com isso, os copos propiciam riscos de vidros quebrados no fundo da piscina. Evite entrar com trajes que não sejam apropriados, como calças, camisetas ou fraldas.

9- Atenção para a sucção. A água da piscina está em constante filtração, um sistema que “puxa” a água para o filtro através dos buracos espalhados pelas paredes e fundos da piscina. Esses orifícios podem sugar os cabelos da criança e mantê-la submersa até o afogamento. Crianças com cabelos compridos devem estar especialmente atentas para esse risco e o uso de toucas é recomendado.

10- Atenção para as armadilhas submersas. Muitos utensílios podem segurar uma pessoa embaixo da água da sua piscina. Algumas escadas possuem espaços que podem prender uma criança. Por isso, fique sempre atento para detalhes da sua piscina.

11- Crianças e piscinas – atenção redobrada, é muito importante, para o desenvolvimento da criança, que ela frequente a piscina e pratique esportes como a natação. Mas é preciso manter uma atenção especial quando crianças estão na água, pois elas podem se afogar rapidamente e em qualquer profundidade.

12- É importante que os pais aprendam a nadar e ensinem suas crianças também.

13- O uso das bóias é importante mas não esqueça que elas não substituem a supervisão de um adulto.

14- Sempre tenha o equipamento básico de salva-vidas próximo da piscina. As bóias e cordas são recomendadas.