Queimaduras. Primeiros socorros para crianças

O que se deve fazer em caso de queimaduras em crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As queimaduras são uma das lesões mais comuns entre lactantes e crianças, e acontecem pela excessiva exposição a uma fonte de calor. A exposição prolongada ao sol, às chamas, às explosões, fricções, ações de agentes físicos, químicos ou elétricos, e por água quente, são os agentes mais comuns que podem ocasionar queimaduras nas crianças.

Primeiros socorros. Queimaduras em crianças

As queimaduras nas crianças

É preciso saber o que causou a queimadura, a extensão ou superfície da pele afetada, a localização da zona queimada e a profundidade da queimadura.

- A extensão: mede-se com a palma da mão do afetado. A palma da mão com os dedos estendidos corresponde a um por cento.

- A localização. É considerada zona de grave afetação, o rosto, as mãos e os pés, a área genital e seu entorno, orifícios como boca, nariz, ânus, olhos, ouvidos, as articulações e zonas de flexão, e as queimaduras que rodeiam toda circunferência de uma parte do corpo.

- A profundidade. É medida em função das camadas da pele que são afetadas.

Primeiro grau. São queimaduras superficiais, que se caracterizam pela vermelhidão, inflamação, e dor ao contato. Não há formação de bolhas. As mais comuns são as solares ou as procedentes de pequenos acidentes domésticos e a cura é mais simples.

Segundo grau. Afetam a derme. A pele está em carne viva e formam bolhas com conteúdo líquido decorrente dos tecidos feridos. São muito dolorosas. Necessitam cuidados médicos.

Terceiro grau. Afeta todas as camadas da pele, inclusive o tecido gorduroso, músculos e vasos sanguíneos. Perde-se a sensação de dor porque atingem os nervos. A pele pode ter uma coloração escura (carbonização) ou enrugamento (aspecto de torresmo). Requer cuidados médicos urgentes e controle dos sinais vitais.

O que fazer diante de uma queimadura infantil

1- Queimaduras térmicas, de contato ou por produtos químicos

Deve-se esfriar a ferida o quando antes com água fresca e corrente durante 15 a 20 minutos até que atenue a dor. Se a queimadura for pequena, mantenha completamente a área afetada debaixo da água. Se a roupa está grudada à queimadura, não tente retirá-la. Retire a roupa que não está grudada à queimadura, assim como todos os objetos que possam comprimir e reter calor (anéis, relógios, correntes ou pulseiras).

Cubra a lesão com compressas molhadas (gazes ou panos limpos), depois de haver esfriado a queimadura. Não aplique sabões, nem pomadas, nem unguentos, ou remédios caseiros. Evite o uso de água muito fria para refrescar a queimadura e proteger o ferido com um cobertor para que não perca calor corporal até que a ajuda médica chegar.

2- Queimaduras elétricas

Evite tocar a criança em contato com a eletricidade, a menos que esteja livre da corrente elétrica, porque a eletricidade pode viajar através do corpo da vítima e vai te eletrificar também. Uma vez que a criança esteja livre da corrente, é muito importante verificar que não tenha havido obstrução de ar e que o sangue esteja circulando.

Quando a criança já esteja estabilizada, aplique água fresca sobre as queimaduras durante 15 minutos. Evite agitar a criança e não aplique sabão, nem pomadas, nem remédios caseiros sobre a queimadura e aplique compressas molhadas sobre ela. Mantenha a criança abrigada até o atendimento médico.