O cigarro. Perigo em dobro durante a gravidez

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os filhos de mães fumantes podem ser mais inquietos, nervosos, irritáveis e mais difíceis de consolar e obedecer, tal como acontece com os bebês de mães viciadas em cocaína ou heroína. A afirmação poderia parecer um pouco exagerada, mas está avalizada pela experiência de Karen L. Law, autora de um estudo sobre o comportamento dos filhos de gestantes fumantes nas primeiras 48 horas de vida. 

A saúde dos bebês de mães fumantes 

A pesquisa foi divulgada pela revista americana Pediatrics. Os pesquisadores asseguram que uma droga letal, como é a nicotina, pode ter o mesmo efeito tóxico que as drogas ilegais, e que por isso não é estranho verificar que quando os bebês de mães fumantes se separam do útero materno, em alguns casos, mostram o quadro de abstinência próprio de pessoas viciadas em drogas. 

No entanto, e mais além dos casos extremos, de modo geral, os bebês de fumantes têm grandes probabilidades de nascerem com baixo peso ou prematuros, circunstâncias que comprometem sua saúde a curto, médio e longo prazo. A dificuldade que muitas mães têm para abandonar o hábito, ganha nesse caso, o estímulo de proteger seu futuro bebê e a esperança de ter um filho sadio e com bom desenvolvimento intelectual. 

Se você estiver grávida, não espere mais. Comece a deixar o cigarro hoje mesmo. Ser fumante passivo é igualmente perigoso. Também não permita que fumem na sua presença, e por último, mantenha-se afastada do cigarro durante a gestação e tente dizer adeus a esse vício de uma vez por todas, pelo seu bem e pelo bem dos seus filhos. 

Esperanza Díaz

Redatora de GuiaInfantil.com