Gravidez depois dos 35 anos

Os riscos de uma gravidez para mulheres mais maduras

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A gravidez em mulheres acima dos 35 anos é muito frequente. As estatísticas confirmam um fenômeno que vem crescendo há alguns anos. A gravidez nessa faixa etária tem aumentado ano a ano, e afeta toda população mundial. Desde o final dos anos 70, houve um aumento significativo da taxa de bebês nascidos de mulheres de 35 a 50 anos de idade. Em aproximadamente 20 anos, essa taxa praticamente dobrou.

O que implica ter um bebê depois dos 35 anos

Ser mamae depois dos 35 anos de idade

Faz bem pouco tempo, a gravidez de uma mulher aos 30 anos era considerado arriscado. Hoje esta realidade já não assusta. Por diversas razões, a maioria das mulheres escolhem a idade dos 30 anos para engravidarem. E os médicos consideram hoje que a gestação de risco afeta somente às gravidas com mais de 35 anos, e em alguns casos, as que tenham mais de 38 anos de idade.

Uma gravidez sadia, depende muito do estado de saúde da mulher, assim como da idade que tem. Se a mulher goza de boa saúde, seguramente terá uma boa gravidez. O limite de idade é importante porque a partir dos 35 anos, inicia-se o crescimento progressivo do risco para síndrome de Down e outrar alterações cromossômicas.

Mas, seja qual for a idade da futura mamãe, é necessário que, antes de tentar ficar grávida, consultar a um médico, porque se tiver uma condição médica crônica como diabetes, anemia, transtorno convulsivo, pressão alta, ou se toma algum medicamenteo especial.

Embora as mulheres que ficam grávidas depois dos 35 anos, estejam mais expostas a alguns riscos especiais, os estudos afirmam que a maioria dessas mulheres têm gravidezes com bebês saudáveis.

A medicina avançou muito neste sentido. E tem ajudado as mulheres entre 35 a 50 anos terem gravidezes com menos riscos que em anos anteriores. Ainda assim, é necessário que as mulheres estejam informadas sobre os riscos que acarretam uma gravidez nessa idade. E seguir, claro, os conselhos médicos.