As crianças diante do ciberbullying, o sexting e o grooming

Conheça quais os perigos e os riscos do mal uso da Internet pelas crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O acesso às novas tecnologias das crianças acontece cada vez mais cedo e já não é raro ver crianças entre 10 e 12 anos usando o computador com muita desenvoltura, falando ao smartphone e até mesmo crianças entre 7 e 8 anos com tablets ou ipod.

Em certas ocasiões, ainda que sejamos pais, colocamos nas mãos das crianças tecnologias que nós não entendemos ou conhecemos, e as crianças de hoje parecem que já nasceram sabendo de tudo.

Os perigos das redes sociais na Internet para as crianças

Riscos da Internet para as crianças

Em meio à sua inocência, muitas vezes as crianças não são conscientes dos perigos que implicam dar dados pessoais através do chat, do correio eletrônico ou das redes sociais. Está claro que se dizemos aos nossos filhos que nunca escrevam o nome do seu colégio, o endereço de casa, o lugar onde realizam suas atividades extraescolares, seguramente não o farão com conhecimento de causa, mas existem muitas formas de se perguntar, e eles acabam respondendo de maneira inocente.

Eu senti frio na espinha ao assistir a primeira palestra no colégio sobre como pessoas más intencionadas buscam meios para assediar crianças através das redes sociais para estabelecer com elas conversas e relações de amizade com identidade falsa, quanto ao sexo, idade e personalidade, e enganos de todo tipo.

Não falar com desconhecidos é um ensino válido para todas as situações da vida, não somente na vida real, mas também para o meio virtual. No entanto, se, por exemplo, nós os pais, não sabemos desconectar o localizador ou rastreador dos smartphones, cada vez que nosso filho fale em um chat com um amigo, alguém poderá saber aonde ele se encontra nesse exato momento.

É com respeito à linguagem que se está abrindo um debate interessante. Quando falamos de vida real, para referirmos à vida física e distingui-la dos contatos em internet e nas redes sociais, estamos confundindo nossos pequenos, que integram ambas as vidas na sua vida real. Por isso, agora convém se referir à vida física e deixar o termo vida real para englobar o caráter geral da própria existência pessoal.

O que são ciberbullying, sexting e o grooming

Entre os perigos que cercam as crianças na internet, vale a pena destacar, que não somente estão expostas às maldades de estranhos, mas eles mesmos podem causar danos a eles mesmos. O ciberbullying ou assédio entre menores na internet pode gerar danos não somente ao pequeno, mas sua família e amigos.

Outro meio que podem se prejudicar entre eles é o sexting, ou troca de fotografias ou vídeos com conteúdo erótico entre os próprios jovens, que podem gerar danos psicológicos importantes. Fora da fronteira dos amigos, o grooming, ou aliciamento, é outra prática através da qual um adulto ganha a confiança de um menor com propósito sexual.

As estratégias para se evitar cair e ser vítima de qualquer dessas práticas depende basicamente da informação que pais e filhos tenham em manejar bem na hora de navegar pela rede e estabelecer relações com outras pessoas. A prudência é a prioridade na hora de proporcionar às crianças uma educação para navegar na internet. Ainda que pensemos em colocar filtros ou controles no computador de casa, ou no notebook, ou tablet dos nossos filhos, não devemos nos esquecer de que como pais, que o diálogo com nossos filhos é o mais importante, já que através do diálogo podemos protegê-los melhor, pois se não acessam páginas “proibidas” em casa podem fazê-lo na casa de amigos.  Prevenir é melhor que remediar.

Texto de Marisol Nuevo