Brigas entre irmãos. São normais?

As brigas ajudam na socialização mas podem significar que algo vai mal na família

Vilma Medina

Vilma Medina

As brigas entre irmãos são normais durante a infancia, o maior  problema é quando as brigas se tornam muito frequentes e são provocadas, na maioria das vezes, apenas por um dos contendores. Isso pode significar que o “brigão” pode estar sendo depositário de emoções não evidenciadas claramente pela família.

Embora sejam reações tão legítimas quanto o amor, quando explodem com frequência e intensidade, a raiva e o ódio podem ser sintomas de desajustes.

As contendas devem ser resolvidas na infância

As brigas entre irmaos

As brigas na infância são uma experiência muito valiosa no desenvolvimento da personalidade. A criança não deve temer mostrar seus sentimentos e emoções. Ela ama, odeia e volta a amar. Assim, ela percebe que esses sentimentos, expressos livremente, não destroem o afeto verdadeiro. A tempestade passa e a amizade verdadeira volta a dominar a relação dos irmãos até que novas explosões ocorram e assim por diante.

Entre irmãos, o mais comum é que as brigas ocorram durante certa fase, não havendo o que temer pois são passageiras. O essencial é que elas sejam resolvidas na infância para não continuarem na adolescência e na fase adulta como situações não resolvidas no mundo da pessoa. É bom e necessário que a criança siga seu impulso de brigar, pois assim ela aprende a defender seus interesses, a respeitar os outros, a ceder na hora certa, ou até a manter sua posição, quando sua própria individualidade estiver em jogo.

As brigas, quando normais, ajudam a criança a se conhecer melhor e a ter um entendimento mais franco com os irmãos e com as outras pessoas. Quando há uma grande diferença  de idade e tamanho, os pais devem interferir e deixar claro que o “brigão” deve procurar alguém do seu porte físico. Se as brigas são muito frequentes e os irmãos estão sempre competindo    é necessário um questionamento não só das crianças, como do casal, sobre o porque disso estar acontecendo.

Quando há uma situação de raiva, competição e briga constante, as crianças podem estar refletindo uma estrutura frágil e desequilibrada da família. Elas conseguem captar quando o relacionamento dos pais está repleto de insatisfações reprimidas porque o ambiente torna-se tenso e hostil. Outra razão de desequilíbrio é quando existem situações de predileção ou favoritismo dos pais- de ambos ou de um dos dois - por um dos filhos, provocando raiva e ciúme no outro. Em alguns casos, é aconselhável procurar a ajuda de um especialista.

Aurora Vasconcelos. Redatora de GuiaInfantil Brasil

A criança violenta e agressiva que briga muito

A criança violenta e agressiva que briga muito

Quando as brigas da criança são frequentes, o que os pais devem fazer. Pode ser que uma criança empurre a outra, jogando-a no chão e pegando seu brinquedo. Se a outra criança chora e se afasta, a criança agressiva se sente vitoriosa, já que conseguiu o brinquedo. É importante identificar se esse padrão está ocorrendo nas crianças agressivas.

A criança que morde

A criança que morde

Quando uma criança morde, pode ser um sinal que esteja sofrendo algum problema emocional. Pode ser parte do desenvolvimento normal morder de vez em quando, mas o morder persistentemente é um sinal de que a criança tem problemas emocionais ou de comportamento.

0 comentarios