Fimose e circuncisão de crianças e bebês

O que é a fimose e a circuncisão. O tratamento

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A fimose é um estreitamento da pele que recobre a glande, o que impede sua retração e a exposição total da ponta do pênis devido a presença de aderências. Oitenta por cento dos recém-nascidos têm a glande protegida pelo prepúcio e é considerado normal que durante os primeiros anos não possa se retrair.

A partir dos dois anos, deveria ser mais fácil retrair o prepúcio, mas existem crianças que têm o prepúcio pouco flexível até os quatro anos. Passados os quatro anos, não poder retirá-lo não é normal.  

Fimose: incômodos nos meninos

fimose-e-circuncisão-crianças-e-bebês A 

Esse problema pode ser hereditário ou aparecer como consequência de uma alteração da pela do pênis da criança. Em algumas crianças, as aderências estão acompanhadas de um estreitamento na pele do prepúcio, que produz uma dor intensa ao tentar retraí-la. Em alguns casos, as crianças podem apresentar um inchaço do prepúcio antes da saída da urina. 

Quando o caso é leve, só apresentará dor ao tentar retirar o prepúcio para limpar a glande. No futuro, pode ocasionar transtornos nas relações sexuais pela excessiva sensibilidade da glande. A dificuldade na limpeza do pênis provoca o acúmulo entre a pele e a glande de uma secreção fisiológica que se denomina esmegma e que pode dar lugar à balanite: infecções locais dolorosas e com frequente presença de pus.  

Cirurgia para a fimose 

A grande maioria das fimoses se resolve de forma espontânea, aos dois ou três anos, aproximadamente, ainda que leve algum tempo de espera. Somente diante de sintomatologia como infecções de urina, da glande, ou alterações do jorro do xixi, esse quadro será tratado de maneira médica com cremes com corticoides ou intervenção cirúrgica. 

As fimoses podem ser corrigidas cirurgicamente. A circuncisão consiste na retirada cirúrgica da pele (prepúcio) que recobre a cabeça do membro viril (glande). Essa intervenção tem sido praticada rotineiramente por povos semitas durante séculos. A retirada cirúrgica do prepúcio, junto à higiene adequada da glande, inibe a proliferação bacteriana na zona, diminuindo assim o aparecimento de perigosas infecções pediátricas. A circuncisão do recém-nascido pode ser considerada, mesmo em crianças que não apresentem estreitamento anormal ou prepúcio excessivamente longo.