Consequências da obesidade infantil

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A obesidade infantil e suas consequências. Maus hábitos adquiridos durante a infância podem levar a criança a sofrer consequências preocupantes, principalmente para a sua saúde. O risco de desenvolver transtornos durante a adolescência é um exemplo claro do que pode suceder se a criança obesa não receber tratamento e atenção adequada à sua alimentação e forma de vida.

Antes, a obesidade era um problema exclusivo dos adultos. Hoje em dia, essa complicação atinge a pessoas cada vez mais jovens. A obesidade na infãncia compromete a saúde da prole. Pode-se diagnosticar problemas como diabetes tipo 2, hipertensão arterial, e níveis altos de colesterol e triglicérides. Além disso, as crianças podem desenvolver problemas psicológicos. As piadas, a intimidação, ou a rejeição por parte dos coleguinhas, podem levá-los a uma baixa auto-estima. São marginalizados pelo aspecto que têm, e todo esse quadro pode gerar transtornos como a bulimia, a anorexia, a depressão, e levá-las a ter hábitos extremos como o consumo de drogas e outras substâncias nocivas.

Males que a obesidade infantil podem causar às crianças

- Problemas com os ossos e articulações.

- Dificuldades para desenvolver algum esporte ou outro exercício físico devido a dificuldade para respirar e o cansaço.

- Alterações no sono.

- Amadurecimento prematuro. As meninas obesas podem entrar antes na puberdade, ter ciclos menstruais irregulares, etc.

- Hipertensão, colesterol e enfermidades cardiovasculares.

- Distúrbios hepáticos.

- Desânimo, cansaço, depressão, queda no rendimento escolar.

- Baixa auto-estima, isolamento e discriminação.

- Trastornos que levam à bulimia e anorexia nervosa.

- Problemas cutâneos.

- Ocorrência de diabetes

Segundo especialistas, a obesidade quando se manifesta na infância e persiste na adolescência, e não tratada a tempo, provavelmente se arrastará até a idade adulta.