Dificuldades das crianças com o estudo

Quando a criança tem dificuldades para estudar

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Conseguir que os filhos se esforcem, concentrem-se e aprendam, e consigam realizar seus objetivos nos estudos, não é uma tarefa tão fácil nem para eles nem para seus pais.

Para que as crianças tenham êxito nos estudos, basicamente é necessário que eles tenham capacidade intelectual para poder estudar, que sejam motivados, adquiram conhecimentos em seus estudos, e que saibam dominar hábitos de trabalho e estudo.

Como ajudar as crianças a superar a sua dificuldade no estudo

Dificuldade da criança nos estudos

Com a intenção de fazer com que os pais, juntamente com seus filhos, conheçam algumas dicas de organização e as técnicas mais elementais e necessárias para o estudo, GuiaInfantil.com, publicará, distintos temas que se tornará em uma pequena oficina, que nos ofereceu Edupla, educación planificada. Neste primeiro capítulo, identificamos as dificuldades mais frequentes no estudo, assim como as estratégias de intervenção para cada caso.

6 conselhos para conseguir que as crianças se concentrem, estudem e cumpram suas tarefas   

1- Dificuldade de planejamento. A criança estuda, mas não dedica tempo necessário, tenta estudar no último momento, se passa nas horas, está mais cansado, e tem a impressão de que estudou e se esforçou, quando na realidade, não foi bem assim.

O planejamento se baseia em determinar um horário diário para o estudo. Dedicar todos os dias um tempo ao estudo e à realização dos deveres, ajudará a criança a estar em dia com seus estudos. Para uma criança do primário, meia hora seria um tempo razoável, mas para um aluno do secundário, em torno de uma hora. A criança deve realizar cada tarefa num determinado tempo previsto.

2- Dificuldade de memorização ou fixação dos conteúdos. Não é o mesmo entender a lição do que somente memorizá-la. O processo de aprendizagem implica entender o que se quer assimilar e logo memorizá-lo, e se realiza através da repetição dos conteúdos.

A falta de concentração e de uma forma adequada para fixar os conteúdos que se consegue com a leitura, o sublinhado, o esquema e o resumo..., também dificultam o estudo. A intervenção se faz, nesses casos, melhorando a atenção e a concentração, usando regras mnemônicas, e repassando o tema. Os pais podem tomar a lição dos seus filhos para comprovar os resultados.

3- Dificuldade de atenção e concentração. Ocorre quando custa muito à criança concentrar-se e começar a estudar. Qualquer estímulo ao seu redor atrai sua atenção, e a faz perder tempo. Seu rendimento é escasso e ela demora muito para realizar suas tarefas.

Para ajudá-la, é necessário eliminar os estímulos que possam estar captando sua atenção enquanto estuda, aconselhá-la para que faça as tarefas mais difíceis quando ela estiver mais descansada, e que estude em uma hora fixa para conseguir um bom rendimento. É recomendável que se intercale o estudo com momentos de descanso, para que a criança recupere a concentração.

4- Dificuldade na leitura. A criança não apresenta suficiente velocidade na leitura nem na compreensão do que lê. Tem dificuldade para saber o significado de palavras de uso bastante comum, porque seu vocabulário é bem mais pobre. Tem também dificuldades para escrever textos com estruturas corretas e claras, possui a tendência para deixar as tarefas para depois, e sente rejeição à leitura. Os casos de crianças com dislexia deverão ser tratados de uma forma adequada e especial.

Para intervir neste caso, o melhor é que a criança comece a ler em voz alta para adquirir uma entonação correta que a ajudará a compreender o que se está lendo. Depois da leitura, é recomendável que se faça perguntas à criança sobre os assuntos mais importantes do texto que ela acaba de ler. Também é aconselhável que se corrija algum defeito na sua leitura, e estimulá-la a buscar as palavras desconhecidas no dicionário.

5- Falta de base. Caracteriza-se por ter dificuldades nas matérias em que seus conteúdos tenham uma grande conexão entre as partes, como é o caso da matemática. A criança não consegue assimliar as estruturas básicas dos conteúdos das diversas áreas.

Para mudar essa situação é necessário que ela se dedique a tratar desse problema através de um irmão maior, os pais ou um professor particular. Deste modo, estaremos potencializando suas técnicas de estudo em todas as matérias.

6- Ansiedade diante dos exames. A criança pode ser uma boa estudante, mas o medo de ser reprovada, a angustia, amedronta, e acaba por perder a confiança em si mesma. Sente nervosismo e ansiedade nos dias próximos às provas, e adquire pensamentos negativos sobre os resultados que ela vai ter.

Como consequência, pode apresentar dores no estômago, insônia, suor nas mãos, inapetência, e tensão muscular, além de palpitações. Algumas desenvolvem reações automáticas como roer unhas, por exemplo. Para aliviar esta situação é conveniente primeiro que se ajude a criança explicando-lhe o que se passa com ela e que para tudo tem remédio.

Logo, deve-se ensiná-la a desenvolver pensamentos positivos, concentrando sua atenção no que ela tem que fazer aqui e agora, e não fazer comparação com os demais. É necessário ensinar à criança que relaxe, que pratique algum esporte pelo seu efeito relaxante, e que por nenhuma razão ela abandone a prova, ainda que pareça difícil.