A família de uma criança autista

Como é o impacto do autismo numa família

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

O impacto do autismo na família. O autismo não é uma enfermidade, é um sofrimento complexo do cérebro que implica em problemas sociais, de conduta e de linguagem. O autismo não discrimina.

Não importa em que parte do mundo você viva. Sejam filhos de ricos, de pobres, pessoas comuns e normais ou de personalidades conhecidas. Qualquer criança pode ter autismo. O autismo impacta a família de muitas formas.

A família de uma criança com autismo

Como a família pode ajudar a uma criança com autismo

O autismo é um enigma inquietante que afeta tanto à criança como toda a família. O cuidado que requer uma criança autista é muito exigente para a família da criança. Os pais estão expostos a múltiplos desafios que têm um impacto forte na família (emocional, econômico e cultural).

O apoio profissional pode ajudar a lidar com uma criança autista. Os conselheiros ajudam aos pais a aprender a forma de manejar as condutas. O cuidado de uma criança com autismo pode ser exaustivo e frustrante. Infelizmente, nem todas as famílias têm acesso a esses serviços profissionais. Seja por falta de conhecimento ou de recursos financeiros.

As muitas maneiras que impactam o autismo

- Saúde Mental – Às vezes o sentimento de impotência deprime aos pais. Barreiras do idioma, muitas famílias não sabem a quem recorrer.

- Educação Especial (aprender a navegar o sistema) – aonde recorrer. Nem todos os países, incluindo os Estados Unidos, provêem às famílias de fala hispana o maior acesso à informação sobre o sistema educativo e como podem ajudar aos filhos.

- Gastos, Gastos e mais gastos. Médicos, Medicina, Suplementos, Serviços de terapias – terapia da fala, físicas e ocupacionais podem melhorar as atividades da linguagem. As crianças com autismo necessitam desenvolver seus padrões sociais.

- Medicamentos - Ainda que não existam medicamentos para tratar o autismo, alguns são usados para ajudar a controlar os sintomas.

- Os irmãos das crianças com autismo sofrem muito porque às vezes sentem que ficam de lado.

- As relações do casal passam por duras provas, alto índice de divórcios.

Autismo traz às famílias lições importantes sobre como aprender a levar as duras demandas da vida com tolerância e humor. Isso não faz todos famílias especiais.

O autismo, mais que um problema que afeta a uma pessoa, é um transtorno de incapacidade que afeta à toda a família. Quando os pais tratam de descrever o viver com um filho com autismo, usam termos bem diferentes como: doloroso, incômodo, difícil, normal, complicado, muito satisfatório, faz amadurecer, traumático, e outros muitos.

O certo é que cada família, e dentro desta, cada membro da família é afetado pelo membro autista de maneira diferente. O impacto que produz o autismo, além de variar nas famílias, e nos indivíduos que as formam, muda segundo a etapa em que se encontra cada um. 

O efeito do autismo é parecido ao que produz qualquer outra incapacidade permanente em um membro da família, pelo que vários aspectos que são tratados aqui são comuns a várias deficiências. Certamente, o ter um filho autista pode ser uma das experiências mais devastadoras para os pais em particular, também para os outros filhos.

Leva a família a graves tensões e por momentos pode parecer o fim do mundo, mas não é, como tão pouco o fim da família. Muitos têm conseguido vencer, e suas experiências ajudam a outros a enfrentar a maior fonte de preocupação, que é o medo ao desconhecido.

Com frequência, os pais se sentem mal pela adversidade, intensidade e a contradição de sentimentos que a respeito do filho autista e à situação em que vivem. Uma ajuda eficaz pode levar a reconhecer estes sentimentos como normais, que outros pais já tiveram e que não é vergonhoso ou ruim ter essas reações, nem se é uma má pessoa por tê-las.

Cada família enfrenta este desafio da sua própria maneira, no entanto, existem elementos comuns que vale a pena destacar, e que normalmente se apresentam nas diferentes etapas. Estes são os quatro períodos críticos de transição pelo que passam todas as famílias:
 
- Ao receber o diagnóstico
- Durante os anos escolares
- Adolescência
- Idade adulta

Artigo enviado por:
Maria Theresa Abinader
www.manitasporautismo.com

O site autistas.org contém informações importantes para pais de crianças autistas no Brasil.