As palavras têm muito poder sobre as crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Na relação que tenho com minha filha, cada dia me dou conta de que tudo o que lhe digo tem um poder e um peso enorme sobre suas atitudes e comportamento. Quando ela ainda era muito pequenina eu não me dava conta do poder que minhas palavras tinham. Hoje entendo porque todas as vezes que eu lhe pedia que arrumasse os seus brinquedos, ela não o fazia. Ao invés de eu dizer-lhe o que tinha que fazer, eu insistia em repetir: ‘como você é bagunceira’. Quem estava fazendo a coisa errada era eu.

Como reconhecer as boas atitudes das crianças

as-palavras-têm-muito-poder-sobre-crianças A

Eu demorei em me dar conta de que não estava ensinando minha filha a ser organizada. Pelo contrário, eu estava colocando nela um ‘rótulo’ de bagunceira. As crianças são assim, acreditam em tudo o que dizemos a elas. Pior, elas se ‘vestem’ dos qualitativos, bons ou ruins que a gente as titula, algumas vezes. Assim como os adultos, as crianças também cometem erros e falhas, mas os pais são capazes de controlar seus impulsos e ajudar-lhes a superá-los.

‘Você é um inútil’, ‘como você é preguiçoso’, ‘você é um medroso’, são apenas algumas das coisas que alguns pais ressaltam várias vezes nos seus filhos, e que somente incentivam o contrário do que esperam dos pequenos. Para conseguir com que as crianças sejam responsáveis, disciplinadas, felizes e organizadas, é necessário motivar e despertar nelas uma ação positiva em todas as suas tarefas. E não é só isso, o exemplo conta, e muito. É sempre melhor surpreender as crianças fazendo e dizendo algo bom delas do que exigir-lhes uma atitude para a qual não as preparamos nem as educamos. Mais vale as boas palavras aos filhos do que somente reprovações e censuras.  

Por isso a gente tem que ter muito cuidado com o que dizemos às crianças. Um bom exercício seria fazer uma reflexão sobre qual foi a última vez que ‘aplaudimos’ uma boa atitude ou um bom comportamento dos nossos filhos. Façamos uma lista de coisas boas e ruins que eles fazem. As coisas boas nos indicarão em que estamos acertando, enquanto que as más, não apenas podem indicar as debilidades dos nossos filhos, como também, e, sobretudo nossos erros e descuidos na sua educação. Como você vê isso? 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com