O professor que cruza um rio nadando todos os dias para dar aula

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Chama-se Abdul Malik, e é professor. Todos os dias ele pega uma sacola plástica, caminha vários quilômetros e ao chegar ao rio tira a roupa, guarda na sacola plástica, segura bem os sapatos e cruza o rio a nado. Depois continua andando até a escola. 

Sem dúvida, uma comovente história que nos faz refletir sobre a entrega de algumas pessoas pelo trabalho que realmente amam

Abdul, o professor indiano que cruza diariamente um rio para dar aula

o-professor-que-cruza-um-rio A 

Existem profissões cujo requisito indispensável é a vocação. E existem pessoas que nascem com essa vocação. Crianças desde pequenininhas têm claro o que serão quando adultas e não param o seu empenho até conseguirem... É o caso de Abdul, um professor indiano com vocação de mestre. 

Todo dia madruga para percorrer vários quilômetros até sua escola em Malappuran. Para chegar antes e preparar bem a aula, ele atravessa um rio. Não há pontes, nem embarcações. Mas, ele não titubeia em tirar a roupa e guardá-la junto à sua lancheira, nadar com um pneu na cintura e os sapatos nas mãos desafiando a corrente de um rio lamacento para alcançar o quanto antes a outra margem. 

A razão é que se ele tivesse que esperar o ônibus acabaria demorando uma hora a mais, e poderia dedicar menos tempo às suas aulas. Andando, Abdul economiza tempo e dinheiro. 

Seus alunos o respeitam e admiram. Não somente a ele, mas na sua forma de dar aula. Mais além das clássicas lições de matemática e ortografia, Abdul sai com seus alunos, passeia entre a natureza, dá aulas de natação, pede que os ajude a limpar as margens do rio, e lhes inculca respeito pelo meio ambiente e pelos seus companheiros. 

Abdul dá aos seus alunos as lições mais valiosas. Seus livros não esquecem a aritmética ou a caligrafia, mas entre os seus principais objetivos não está em que seus alunos sejam os melhores resolvendo equações ou memorizando as capitais do mundo. Sua prioridade é que se convertam em boas pessoas. Para Abdul, ‘o ensino é uma profissão nobre. A melhor parte em ser professor é que se obtém uma grande quantidade de amor e apreço dos alunos’. Que exemplo!

Realmente é correto dizer: ‘cada um colhe o que planta’.

Estefanía Esteban

Redatora de GuiaInfantil.com