Os inimigos da comunicação familiar

As causas de uma má comunicação entre pais e filhos

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As razões de uma má comunicação familiar. Quando um membro de uma família chega à sua casa, pode perceber uma mensagem de bem-estar ou tensão, sem a necessidade de olhar o rosto do restante da família. Isso pode acontecer em razão de quanto mais estreita seja a relação entre as pessoas, mais importância terá, e mais evidente será a comunicação não verbal.

Em certas ocasiões, a falta de diálogo, implica numa grave limitação na comunicação. Muitas vezes, a pressa dos pais em receber alguma informação, os impede de conhecer a opinião dos seus filhos, e, de igual forma, impede que seus filhos se dêem conta da atitude aberta e da predisposição a escutar os pais. A situação anterior é especialmente importante na adolescência. São inúmeras situações em que os pais sentem curiosidade pelo que fazem os filhos a estes, diante de uma situação de exigência, respondem com evasivas.

Falta de comunicacão na familia

A falta de comunicação na familia

Outro impedimento para a comunicação é a impaciência de alguns pais para poder influenciar educativamente na conduta dos seus filhos. Todo o processo passa pela relação que estabelecem pais e filhos, e esta se apoia na comunicação; por isso, é tão importante preservá-la e manter a alegria de desfrutá-la.

Para isso é suficiente que os pais não queiram ter sempre a razão e convencer-se que comunicar-se não é enfrentar-se. A vida familiar conta também com alguns inimigos claros para estabelecer conversações e a relação interpessoal. A televisão na hora da comida, os horários que dificultam o encontro prazeroso, os distanciamentos nos finais de semana... Devemos lutar frente a essas situações e adotar uma atitude de resistência provocando um clima que facilite a comunicação.

Obstáculos que impedem a comunicação em família

- Generalizações: Sempre está brigando com sua irmã, nunca obedece. Com certeza, em algum momento, já fez alguma coisa diferente do que brigar com sua irmã. Possivelmente, alguma vez, soube obedecer.

- Julgamento das mensagens que recebemos: A mãe, quando o pai chega em casa lhe diz: Parece que hoje chegou mais tarde. O pai replica: O que acontece? Nos outros dias não chego antes? Você sempre está preocupada da hora que chego!

- Não saber escutar para compreender bem o que querem realmente dizer. 

- Discussão sobre sua versão de algo que aconteceu há algum tempo. Por que dar tanta importância a coisas que aconteceram no passado?

- A criação de apelidos.

- Aplicação de objetivos contraditórios.

- O lugar e o momento que escolhemos para uma conversa. 

- Exposição de perguntas cheias de censuras. 

- O abuso dos: Você devia, Eu deveria fazer, ao invés dos: O que você acha se..., Talvez te convenha, Eu quero fazer, Me convém, Decidi

- Interromper a conversa porque presta mais atenção no que quer dizer, do que escutar ao outro.