Selena, a formiga. Conto infantil

Contos para crianças sobre o esforço e o trabalho

Vilma Medina

Vilma Medina

A história passou em um formigueiro muito bem escondido, repleto de janelinhas, de onde se vêem entrar e sair permanentemente as movimentadas formigas durante todo o dia.

Num verão, Margarita viu uma formiga que se esforçava de um modo original e lhe chamou a atenção. Era a formiga Selena, irmã mais velha de uma numerosa família de quatorze filhos. Seus papais contavam com ela para que depois da escola ou de brincar, os ajudasse a juntar gravetos, sementes e folhas para se alimentar durante o inverno. 

Trabalho e tempo livre

selena-a-formiga-conto-infantil A

Nesse verão em particular, Selena tinha trabalhado muito, porque sua mamãe tinha saído de viagem por uns dias para visitar Penina, uma tia anciã que vivia em um formigueiro distante. 

Margarita nos contou que era na outra ponta do terreno. Selena desejava que, ao regressar, sua mãe pudesse descansar e contar-lhe todas as coisas que tinha visto no caminho.

Por isso, trabalhou quase sem descansar juntando folhas durante o tempo em que sua mãe esteve fora. Assim, o depósito da casa estava cheio de gravetos e folhas!

O dia do regresso tinha chegado e Selena se esmerou ainda mais: preparou uma bela mesa para tomar chá, com torta de frutas, sua preferida, e quando terminou disse: ‘Vou descansar no sofá até que mamãe abra a porta’. 

Mas, de tão cansada que estava, ficou adormecida quando Enriqueta (assim se chamava sua mamãe) e não conseguiu despertar! Dormiu quase um dia inteiro. 

Selena tinha se esforçado a ponto de ficar exausta e não pôde desfrutar do que mais desejava... Quando despertou, Enriquete ou Queta como todos a chamavam, estava ao seu lado acariciando-a e sussurrando para Selena: 

- Minha formiguinha trabalhadora, muito obrigada por todo o seu esforço, mas não era necessário que fizesse tudo isso sozinha. Seus irmãos poderiam ter lhe ajudado. 

No final, puderam conversar. Queta lhe contou da paisagem florida que tinha visto no caminho e lhe tinha lhe trazido umas deliciosas folhas de arando da casa de Penina.

Selena tinha aprendido uma grande lição: não se esquecer de desfrutar e descansar, apesar do que tinha se proposto a fazer. Por isso, disse: 

- Depois de tudo, o principal é compartilhar com os que eu amo o melhor de mim. E, se só penso em trabalhar, vou acabar perdendo algo muito importante. Selena continuou sendo uma formiguinha trabalhadora e muito mais feliz. 

É que tinha aprendido que trabalhar duro carregando cargas tem sentido se sobrar tempo para se alegrar e tempo para amar. 

FIM

Este conto foi enviado por María Fernanda Zugasti (Argentina)

Brincar com os livros para estimular a leitura das crianças

Brincar com os livros para estimular a leitura das crianças

Um livro nas mãos de uma criança pode levá-la a aprender e ser mais criativa. O livro deve ser introduzido na vida da criança como uma brincadeira, desde o seu nascimento. Como ajudar as crianças a criar hábitos de leitura e a ter interesse pela leitura. As brincadeiras podem ajudar nesse processo de aproximar a criança à leitura e aos livros.

7 razões para que as crianças leiam em voz alta

7 razões para que as crianças leiam em voz alta

Aprender a ler faz parte dos primeiros aprendizados que as crianças realizam na escola, e ainda que não seja uma tarefa fácil no início, existem duas formas de ajudá-las para que consigam isso com êxito: incentivar a prática da leitura e animá-las a ler em voz alta.

Conto sobre a Amabilidade. Daniel e as palavras mágicas

Conto sobre a Amabilidade. Daniel e as palavras mágicas

Eu lhe apresento Daniel, o grande mago das palavras. O avô de Daniel é muito aventureiro, e neste ano enviou de um país sem nome, no seu aniversário, um presente muito estranho: uma caixa cheia de letras brilhantes. Um conto para ensinar a amabilidade para as crianças.

O que os contos ensinam aos nossos filhos

O que os contos ensinam aos nossos filhos

Se pararmos para pensar, os contos refletem a própria vida e nos mostram diferentes facetas da vida: nossa convivência com os outros, a possibilidade de escolha, sentimentos e valores contrapostos.

0 comentarios