Menos brinquedos e mais brincadeiras com os filhos

A presença dos pais é muito mais prazerosa que ter muitos brinquedos

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Meu Deus, quantos brinquedos têm nossos filhos! Seus quartos estão cheios deles, e quase pisei em 3 brinquedos enquanto limpava seus dormitórios. Têm de tudo, brinquedos que nunca usaram, e outros que ficam jogados pelo chão: peças de construção, bonecos desmembrados e cartas espalhadas... Especialmente por isso seria conveniente que pudéssemos fazer uma revisão dos brinquedos antes que o Papai Noel trouxesse novos presentes.

Como se divertir e brincar em família

Menos presente e mais presença para os filhos

Todos nós já nos queixamos alguma vez a respeito da quantidade de brinquedos que nossos filhos têm e mesmo assim ficam atrás da gente querendo nossa companhia.

Chegamos à conclusão que um quarto cheio de brinquedos não garante que nosso filho brinque com eles.

Muitas vezes as crianças estão em frente aos seus brinquedos sem vontade de brincar, porque não tem ninguém com quem compartilhar seus jogos e brinquedos.

Muitas vezes, nós, pais, estamos muito preocupados que não falte nada material aos nossos filhos, e, no entanto, esquecemos que a criança necessita da nossa presença e de nossa participação na vida dela. Nós somos o seu melhor brinquedo! Nosso filho precisa dividir seus brinquedos, suas expectativas, sua imaginação e fantasia com os outros. Esse é o verdadeiro desfrutar.

Pode ser mais divertido brincar de pega-pega com outra criança do que estar em frente a um maravilhoso brinquedo. Existem pesquisas que comprovam que muitas crianças se sentem solitárias e não gostariam de estar assim.

Muitos especialistas em infância e adolescência aconselham menos brinquedos e mais brincadeiras compartilhadas nas festas natalinas, e nos recomendam a recuperação de brinquedos educativos como livros ou contos, ou outros que permitam dividir o tempo com nossos filhos, como andar de bicicleta, caminhar, pular corda.

Todos os anos, as pesquisas de consumo dizem que a média do número de brinquedos por criança nessas festas é muito elevada, e, no entanto, é muito mais recomendável não presenteá-los com muitos brinquedos, para que possam manter a alegria e ilusão pelo brinquedo recebido, e não se verem transbordados diante de uma avalanche de brinquedos que não podem sequer dar atenção.

A necessidade fundamental para a criança é desfrutar da nossa companhia e da companhia de outras crianças para brincar ou jogar. Essa satisfação não se compara a uma grande quantidade de brinquedos por mais caros que sejam.