Razões para ir ao hospital durante a gravidez

Complicações durante a gravidez. Quando devo ir ao hospital

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A maior parte das gestações se desenvolve de forma normal e não são gestações de risco. Em todo caso, é bom que toda mulher saiba reconhecer complicações que podem surgir para evitar problemas maiores. Existem alguns sinais e sintomas que avisam que alguma coisa não está bem durante a gravidez e são motivos para procurar serviços de emergência do hospital. 

Razões para ir ao serviço de emergência durante a gravidez 

Diante da dúvida se alguma coisa é normal ou não, recomenda-se procurar o médico ou ir ao serviço de emergências do hospital para descartar possíveis complicações. Muitas vezes por medo ou vergonha de que o médico diga que não é nada, as mães não procuram os serviços hospitalares, mas é recomendável ser prudente e se deslocar até lá se alguma coisa não parece normal. Em todo caso, estes são os sintomas de que algo não está funcionando bem durante a gravidez: 

- Sangramento vaginal: é normal que haja um leve sangramento depois de uma relação sexual ou de um exame ginecológico. No entanto, se o sangramento é abundante e de cor vermelho intenso, é conveniente receber atenção médica o quanto antes. É possível que se a gravidez seguir adiante, o médico possa recomendar repouso absoluto. 

- Contrações: não devem ser confundidas com as contrações de Braxton Hicks, que são aquelas em que a dor desaparece com o movimento ou mudando de postura, e que só indicam que o colo do útero está amadurecendo. Se as contrações são dolorosas, não cedem ao repouso e ainda não está na reta final da gravidez, é recomendável procurar atendimento médico. 

- Ruptura prematura da bolsa: em gestações normais pode acontecer no final da gravidez ou inclusive na fase de dilatação. Se a ruptura se der nas semanas anteriores da data do parto, ou o líquido que sai é de cor verde, é importante procurar atendimento médico para verificarem se o bebê sofre algum perigo. 

- Falta de movimentos do bebê: a partir do momento em que perceber o bebê chutar, a mãe deve ficar atenta todos os dias aos movimentos fetais. No caso de não perceber nenhum movimento, coma chocolate, descanse um momento ou coma algum alimento açucarado para ativá-lo. Se com essas medidas você continua sem notar que o bebê se move, procure urgentemente a emergência do hospital para comprovar o estado do bebê. 

- Vômitos intensos: se a sensação de náuseas e vômitos for muito intensa e não tolerar nenhum alimento ou bebida, é necessário que procure atendimento médico para descartar outras complicações e evitar a desidratação. 

- Febre: a febre acima dos 38ºC é motivo de consulta médica, principalmente quando não tem resfriado ou catarro. 

- Dor de cabeça: as mulheres grávidas são muito propensas a sofrerem cefaleias, mas se estas são muito fortes e não cedem nem com analgésicos, procure o serviço de emergência, já que pode estar associada com o aumento de pressão arterial e isso indica uma complicação da gravidez. 

Alba Caraballo. Editora de Guiainfantil.com