Diagnóstico e tratamento da ambliopia

Os efeitos psicológicos e sociais provocados pela ambliopia

Vilma Medina

Vilma Medina

A ambliopia quando diagnosticada antes dos seus anos, de modo geral pode ser tratada com sucesso. Aos 8 anos de idade, somente 20% dos casos alcançam resultado satisfatório. A partir dessa idade, a solução do problema, ou seja, a resposta ao tratamento é quase nula. Em todo o caso, é recomendável que antes dos 3 anos de idade, ainda que o seu filho não apresente nenhum sintoma, é bom levá-lo a um oftalmologista para realizar um exame completo da visão, para prevenir assim problemas como o da ambliopia. 

Diagnóstico precoce da ambliopia

diagnóstico-e-tratamento-ambliopia A

Segundo Jorge Alió, oftalmologista e presidente da Fundação que leva o mesmo nome, ‘é muito importante fazer um acompanhamento com as crianças, principalmente antes dos seis anos de idade para evitar que uma possível ambliopia aumente. Se a ambliopia chega a uma fase crítica, a recuperação do paciente é quase impossível, e constitui um verdadeiro problema a uma incidência maior de cegueira’. 

Como saber se uma criança tem ambliopia?

A não ser que a criança apresente um olho estrábico, com frequência não existe maneira de que os pais saibam que algo não funciona bem. Para diagnosticar a ambliopia as crianças devem se submeter a um exame visual que consiste em:

1. Examinar a visão de cada olho, fazendo-a ler um diagrama que contenha filas de letras ou sinais. 

2. Averiguar que os olhos estejam trabalhando juntos (teste do ponto de fusão). 

Tratamento da ambliopia infantil

O tratamento da ambliopia será realizado por um oftalmologista, que cobrirá com um tampão o olho com boa visão da criança e indicará as correções necessárias para o olho afetado. Para uma recuperação precoce é necessário a colaboração e uma vigilância extrema e cuidadosa dos pais com o seu filho. Nas crianças, a recuperação é mais rápida se forem submetidas a um programa de estimulação precoce, e controladas periodicamente com a frequência requerida até os 12 anos de idade. O tratamento deve começar antes dos quatro anos de idade e não deve ser abandonado antes dos dez anos por causa do risco de regressão do problema. 

Como se pode fortalecer o olho débil das crianças?

Para fortalecer o olho débil podem ser realizados dois tipos de tratamentos: 

. Tampões. Pode ser necessário cobrir um olho ou tapá-lo com um tampão. Se o olho que funciona melhor é coberto obriga ao ‘preguiçoso’ a trabalhar. 

. Medicação (em forma de gotas ou unguento). Pode ser usada para que a visão do olho mais forte se torne borrada e forçar ao olho débil a trabalhar. Em geral, esta técnica se usa para casos mais leves. O tratamento pode durar algumas semanas ou até um ano. Depois do tratamento, as crianças requerem checagens frequentes até os 9 ou 10 anos de idade para evitar que a ambliopia volte a ocorrer. 

Conselhos para usar o tampão

1. Assegure-se que o seu filho saiba por que é importante usar o tampão.

2. Nunca castigue nem critique a criança porque não coopera perfeitamente com o tratamento. Não é fácil se ver ou se sentir ‘diferente’. O tratamento não durará por toda a vida e vale a pena explicar-lhe que convém ir até o fim. 

3. Explique aos professores e para as pessoas que cuidam da criança e aos companheiros a razão do tampão e peça apoio de todos. 

4. Se a colocação do tampão lhe causa uma irritação, troque-o por um tampão de ‘pirata’. 

5. Se a criança necessita de tampão somente algumas horas por dia é recomendável o uso somente em casa. 

Efeitos psicológicos na criança

É necessária uma intervenção precoce em pacientes com ambliopia, já que o paciente se vê afetado não somente por este problema físico, mas também pelas dificuldades que viverão no seu meio. Os efeitos psicológicos e sociais provocados pela ambliopia repercutem nas relações pessoais da criança na escola e na família, uma vez que sua autoestima baixa consideravelmente pela falta de confiança em si mesma.

Fonte consultada: 

- Medlineplus.gov 

- Fundacionvisioncoi.es 

- NOAH

Os problemas de visão na infância

Os problemas de visão na infância

A miopia, o astigmatismo e a hipermetropia são os problemas de vista mais comuns em crianças e bebês. Segundo a Academia Americana de Oftalmologia, estes problemas de vista atingem a mais de 20 por cento das crianças em idade escolar.

Atenção aos olhinhos do bebê

Atenção aos olhinhos do bebê

A gente se preocupa se o nosso pequeno come e dorme bem, se cresce com saúde, se reage a estímulos... Mas, são poucos os que se preocupam em cuidar dos olhinhos, um dos órgãos mais sensíveis do bebê.

Crianças com ambliopia ou olho vago

Crianças com ambliopia ou olho vago

A ambliopia é conhecida comumente como olho vago (ou ‘olho de preguiçoso’). Trata-se de um olho que não chega a ver 100%, ou seja, que não chega a distinguir certos objetos com nitidez ou ver letras menores.

Ambliopia em crianças: tampão versus terapia visual

Ambliopia em crianças: tampão versus terapia visual

A ambliopia pode ser tratada de diferentes formas. Realmente o tratamento mais difundido, ou talvez o que os pais mais conheçam é o tratamento através dos tampões, ou seja, da oclusão total. No entanto, não existe apenas essa opção, uma vez que especialistas têm exposto outros tratamentos para que os olhos possam trabalhar de maneira conjunta.

0 comentarios