Tratamento do Lábio leporino e/ou Fenda palatina

Lábio leporino e os problemas com a alimentação

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Mesmo que o tratamento do Lábio leporino demore alguns anos, vale a pena esperar. O lábio leporino e a fenda palatina, não afetam somente a parte estética da carinha do bebê, como também pode apresentar outras complicações associadas à alimentação, à linguagem, à dentição, inclusive pode afetar a audição. Conheça algumas delas:

Dentre os  problemas com que os pais vão se deparar, o mais comum, associado a essas anomalias, é a alimentação do bebê. Por causa da má formação, os bebês têm mais dificuldades para succionar o leite. Os bebês que têm só lábio leporino, normalmente não têm tanta dificuldade, mas os que apresentam fenda palatina apresentará mais complicações para alimentar-se.

Lábio leporino e os problemas com a alimentação

Um bebê que apresenta essas anomalias pode, e deve ser amamentado. Exigirá mais tempo e paciência, além de algumas técnicas e métodos alternativos, mas tudo se ajeitará. É um processo lento e muitas vezes frustrante, e que exigirá persistência e constância. Pense que somente assim seu bebê receberá as calorias necessárias para aumentar seu peso e seguir com um desenvolvimento normal. Aqui apresentamos alguns conselhos:

- É aconselhável que o bebê receba o leite através de mamadas frequentes e curtas.

- Pode-se usar uma bombinha para tirar leite para que o bebê possa desfrutar do leite materno sem problemas.

- Em cada mamada, é aconselhável manter o bebê numa posição erguida para evitar que o alimento saia pelo nariz.

- Existem muitos tipos de mamadeiras e bicos que podem ajudar na alimentação do bebê que tenha esses problemas.

É de fundamental importância que os pais de bebês com essas anomalias, consultem ao médico sobre o melhor método de alimentação ou de algum complemento alimentar para seu bebê. Só o médico poderá determinar a melhor solução para cada caso.

Lábio leporino e os problemas da fala e da linguagem

Em consequência da abertura do palato e do lábio, pode ser que o bebê apresente problemas de aprendizado quanto ao desenvolvimento da fala. Alguns apresentam uma voz com qualidade nasal, não chegam a pronunciar corretamente as vogais e consoantes, e outros apresentam oscilação de ressonância. Nesses casos, segundo orientação médica, é necessário um trabalho conjunto com um especialista, um terapeuta da fala e linguagem. Um fonoaudiólogo realizará uma avaliação integral da fala do seu bebê para avaliar suas capacidades de comunicação e o supervisionará de perto durante todas as etapas do seu desenvolvimento.
Dependendo do grau da anomalia, é necessária uma cirurgia reconstrutiva o mais rápido possível, para que não se altere muito os problemas com a fala.

Lábio leporino e os problemas de ouvido e perda auditiva

Um bebê que sofre dessas anomalias pode adoecer mais de infecções de ouvido, devido ao desenvolvimento incompleto do palato e dos músculos palatinos, que são necessários para abrir as trompas de Eustaquio (que se encontram em cada lado da garganta e conduzem ao ouvido médio). No caso de que isso aconteça com muita frequência, pode-se produzir uma perda da audição. Nesse caso, é necessária a intervenção de um fonoaudiólogo, que acompanhará e controlará a evolução e controle das dificuldades auditivas que seu bebê possa ter; ou de um otorrinolarigologista (especialista de garganta, nariz e ouvido), que fará avaliação e o controle das infecções do ouvido e da perda auditiva que podem ser efeitos secundários da anomalia do bebê.

Lábio leporino e os problemas com os dentes

Como consequência das anomalias, é possível que o desenvolvimento dos dentes do bebê apresente algumas alterações. Pode ser que não nasçam dentro do tempo correspondente, ou que, ao nascer, apresentem algumas deformações quanto à posição ou o tamanho. Nesses casos, é necessária a intervenção de um odonto-pediatra, que avaliará a posição e alinhamento dos dentes do seu bebê.

Uma criança com lábio leporino e/ou fenda palatina pode alcançar a segurança necessária para falar, atuar e ter um aspecto como todas as demais crianças. Mesmo que o tratamento demore alguns anos, vale a pena esperar. Os benefíciso chegarão e os pais notarão.