Como escolher uma babá para seu filho

Dicas e conselhos para escolher uma babá ou cuidadora para o seu bebê

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É uma decisão muito importante ter que delegar a outra pessoa o cuidado dos filhos. Requer uma busca e uma segurança quanto às condições que considerem necessárias. O mais complicado é encontrar a pessoa adequada, a babá mágica para o seu bebê. Parece difícil, mas nao é impossível.

Deve-se ter muito claro que será muito difícil encontrar alguém que faça as coisas como os pais. O que devem comprovar é que haja uma boa relação entre a babá e a criança.

O que fazer para identificar uma boa babá?

Cómo escolher uma cuidadora para o bebê

1- Comece a busca o quanto antes. Deve dedicar tempo. Entreviste pessoalmente todas as candidatas a babás antes de tomar uma decisão.

2- Não é conveniente que a babá tenha uma idade inferior aos 18 anos. Seria muito jovem para tal compromisso. Se seu bebê tem menos de dois anos, é aconselhável que sua babá haja estudado puericultura, o que é realmente muito difícil.

3- Pontualidade e responsabilidade devem ser condições básicas.

4- Que tenha iniciativa quanto a possíveis problemas: febres, engasgos, quedas, etc. Apresente uma situação imaginária de emergência para ver como reagiria.

5- É imprescindível que tenha experiências anteriores e referências. Convém que quem cuide do seu filho tenha conhecimentos comprovados em puericultura ou educação infantil. Não confie nas aparências.

6- Durante a entrevista, valorize a iniciativa, a paciência, a vocação, maturidade e atitudes. Uma boa babá sempre priorizará os interesses e as necessidades da criança.

7- Tanto os bebês como as crianças devem tomar parte da entrevista para que os pais possam observar se existe cumplicidade afetiva no contato da babá com elas.

8- Converse sobre seus princípios de educação. As babás que são todas sorrisos e bajuladoras, devem ser capazes também de impor autoridade através dos limites. 

9- A relação entre a mãe e a babá deve ser de cooperação e cumplicidade. 

10- Confie no seu bom senso e tente transmitir segurança à criança na hora de deixá-la ao cuidado de outra pessoa.

11- Estabeleça um período de adaptação ou de prova, pelo menos por 15 dias. Se for possível, passem juntas algumas horas no início.

Como identificar que algo vai mal na babá?

O primeiro sintoma de que algo não vai bem, é que a criança se torne muito chorosa quando se aproxima o momento de estar com a babá. Ou se expressa com gestos ou com palavras que não quer estar ou nem ver a babá. Dependendo da idade, tem crianças que dizem claramente: Você não. Minha mãe. Você não... A primeira coisa que se deve fazer é falar com a babá. E pedir a alguém que os observe quando estiverem no parque, por exemplo. Às vezes trata-se de uma situação passageira, de adaptação. Antes de tomar qualquer decisão, deve-se esperar algum tempo.

Além disso, mantenha uma comunicação constante com a babá. É necessário que observe quais são os progressos do seu filho, o que o preocupa e como se porta a babá.

No Brasil, casos estarrecedores têm acontecido com o tratamento de babás com crianças indefesas. Uma das atitudes de alguns pais, que desconfiam da conduta da babá, tem sido a instalação de câmeras de segurança pela casa. Uma vez constatado maus tratos e agressões pelas imagens, a babá pode pegar muitos anos de prisão, como tem acontecido cada vez com mais frequência, mostradas na mídia.