A melhor incubadora para o bebê prematuro é o calor da sua mãe

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Não há nada que um abraço não cure. Isso sempre dizia minha mãe quando eu discutia com os meus irmãos, ou quando a gente se machucava devido a alguma queda, ou nos entristecíamos quanto tirávamos uma nota ruim na escola. E é verdade, o abraço cura tudo. Alenta, conforta inclusive a um bebê que, por alguma razão, tenha saído antes do esperado da barriga da sua mãe. Eu me refiro aos bebês prematuros. O calor dos braços de uma mãe, a cada dia ganha uma importância especial nos casos de prematuridade

O abraço de uma mãe cura tudo 

O abraço e o calor de uma mãe são considerados mais valiosos do que qualquer equipamento, por mais sofisticado que seja, que tenha nos hospitais. Com efeito, muitos hospitais estão se empenhando em substituir, o máximo permitido, as incubadoras e toda sua tecnologia e maquinaria, pelo contato do bebê com a mãe. Os médicos acreditam que o afago da mãe traz muitos benefícios para o bebê prematuro. Isso me faz recordar que há uns oito ou nove anos, em uma visita a uma amiga que acabara de dar a luz ao seu bebê no sétimo mês de gestação, que, além de toda a preocupação que ela tinha com respeito ao desenvolvimento do seu bebê, ela sofria por não poder abraçá-lo, pegá-lo nos braços e dar-lhe todo o seu calor. 

Se ela tivesse tido seu bebê hoje em dia, não passaria por esse mau momento. Hoje, os hospitais estão eliminando cada vez mais as restrições de tempo das visitas dos pais aos bebês. Existem alguns que inclusive desenvolveram uma faixa especial que facilita o contato do bebê com a mãe. Esse método vem sendo chamado de mamãe canguru. O contato pele a pele entre o bebê e os seus pais é uma prática que cada dia mais ganha mais terreno e adeptos, uma vez que se observou que após esses métodos mais humanistas, diminuíram os casos de infecções e mortalidade e os bebês apresentaram melhor desenvolvimento físico, intelectual e afetivo, além do que evitam o estresse provocado pelos constantes barulhos das incubadoras, além do que está endossado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Além do contato pele a pele com os seus pais, o bebê não só sentirá o seu calor, mas seu cheiro, sua voz e escutará a batida do seu coração. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com