Os efeitos da música nos bebês prematuros

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Quando um bebê nasce pelo menos a três semanas antes da data prevista, é considerado um bebê prematuro, e muitos dos seus órgãos e sistemas não se encontram maduros. É um bebê que pode ter problemas no seu ritmo cardíaco, dificuldades respiratórias, circulatórias e renais, apresentar baixo peso e se encontrar mais propenso a sofrer doenças ou inclusive a não sobreviver.

A música cuida dos bebês prematuros

bebê-prematuro-música-incubadora A 

A cada dia são mais bebês que nascem antes do tempo, e a recuperação requer muito tempo. Cada vez mais, pesquisas realizadas em todo o mundo, mostram a eficácia da música no desenvolvimento do bebê prematuro. Há algum tempo, a organização  March of Dimes (Organização não lucrativa dedicada a promover a saúde na gravidez e nos bebês), realizou um estudo com 500 mil nascimentos prematuros, nos quais se utilizou os efeitos e benefícios da música como alternativa terapêutica para sua saúde. Observou-se que, com cuidados necessários e alternativos como a musicoterapia, a saúde dos bebês prematuros tinha melhorado consideravelmente. 

Em alguns hospitais já se usa a música clássica ou instrumental como parte da terapia. Alguns vão mais além e utilizam músicas de ninar e outros sons agregados como o das batidas do coração ou o som do útero materno. A música tranqüiliza a mente e cada um dos órgãos do bebê prematuro, fazendo com que a probabilidade que ele sobreviva aumente. 

A música ajuda a reduzir alguma dor, a estabilizar o sono e a frequência cardíaca dos bebês, que ganhem peso e se sintam mais seguros no ambiente do hospital. Além disso, a música ajuda a diminuir o estresse dos pais e da equipe médica. A música não é aconselhável somente durante o tempo em que o bebê estiver no hospital. É importante que quando o bebê for para casa, os pais continuem estimulando-o com uma música tranquila e relaxada. Em alguns hospitais no Brasil, a música vem sendo usada como estímulo da amamentação

Com a música, os bebês comerão e dormirão melhor. Estarão mais relaxados e livres do estresse. A música acelera ou retarda o ritmo cerebral, a circulação, respiração, digestão e o metabolismo; aumenta ou diminui o tônus e a energia muscular; altera o sistema imunológico; aumenta a atividade neuronal nas zonas do cérebro relacionadas com a emoção. A música também pode despertar, estimular e desenvolver diversas emoções e sentimentos. Incita e favorece a expressão, estimula a concentração e a memória, e favorece o aprendizado, assim como o desenvolvimento e o crescimento dos bebês. 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com