Existem contos que não nos ajudam a educar as crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Educar com valores é um grande desafio para os pais e professores. Primeiro porque requer vivência e exemplo; e logo porque nem sempre se encontram as ferramentas necessárias para isso. Eu me lembro que certa vez, quando pequena, minha filha me deixou literalmente sem palavras. Eu acabara de contar-lhe o conto da Galinha Ruiva e ela me perguntou: ‘Mamãe, os vizinhos da galinha não quiseram ajudá-la, mas ela tão pouco quis compartilhar o pão com eles... A senhora acha que isso é bom?’. 

Contos que não dão exemplos às crianças

existem-contos-que-não-nos-ajudam-a-educar A 

Eu admito que fiquei um tanto perplexa com a observação da minha pequena. Jamais tinha pensado nisso, e, é claro, por nem sempre dispor de tempo para contar contos às crianças, as mães muitas vezes ligam o ‘automático’ e relatam o conto sem nenhum tipo de reflexão. Pois, isso aconteceu comigo e minha filha tinha toda a razão. 

Não sei se você conhece ou se lembra desse conto, pois narra a história de uma galinha que vivia numa granja rodeada de um pato, um gato, uma vaca e um cachorro. Um dia a galinha encontrou um grão de trigo e decidiu pedir ajuda aos vizinhos para semear o trigo, logo colhê-lo, moê-lo, amassar a farinha e assar o pão, mas eles não quiseram colaborar em nenhuma daquelas tarefas com ela. Quando a galinha finalmente preparou o pão, ela lhes perguntou se gostariam de desfrutá-lo com ela, e, é claro, todos disseram que sim. Sentindo-se ofendida por ter tido que realizar todo o trabalho sozinha, a galinha lhes disse que não compartilharia o pão com eles, e que somente ela e seus pintinhos tinham o direito de comê-lo. E ali se acabava o conto. 

Como você vê essa situação? Se você compreende a chateação da galinha porque os animais não tinham feito absolutamente nada para ajudá-la, creio que deveria repensá-lo antes de contar o conto ao seu pequeno. Por um lado, o conto demonstra que somente com esforço e trabalho se pode colher frutos, mas por outro, acredito que a galinha dá alguns passos atrás quando não compartilha o pão com os companheiros. E mais, ela ainda pergunta se eles desejariam comer o pão. Se ela não tinha a intenção de compartilhá-lo, por que lhes perguntou antes de comer o queriam? Acredito que o que ela queria era castigar seus companheiros, não? 

Acredito que se pode chegar a uma boa conclusão se ao invés de só pedir ajuda aos companheiros para semear, colher e moer o trigo, amassar e assar o pão, ela lhes explicasse antes qual era o seu plano, ou seja, que pretendia fazer com o grão de trigo que tinha encontrado.  Pode ser que eles se convenceriam mais facilmente a ajudá-la. As tarefas distribuídas em partes iguais entre todos e no final todos desfrutariam do pão. Você está de acordo ou propõe outro final? Ou está de acordo que esse conto teve um final certeiro? 

Vilma Medina

Diretora de GuiaInfantil.com