O sapateiro e os duendes. Conto de natal para crianças

Um conto curto para educar o valor da generosidade nas crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os contos transmitem valores e ajudam as crianças a entender palavras complexas. O que é generosidade? E bondade? Se o conto for curto você conseguirá atrair a atenção da criança. 

Neste caso, a gente propõe um conto ambientado na época do Natal que fala de bondade, generosidade e gratidão, três valores fundamentais na educação da criança

O conto infantil ‘O sapateiro e os duendes’

O sapateiro e o duende. Conto de Natal para crianças

Havia uma vez um sapateiro muito pobre, que trabalhava de dia e de noite para tirar o sustento para a sua casa. Sua mulher não tinha trabalho e eles não tinham filhos. O sapateiro a cada dia que passava vendia menos sapatos. Era Natal e fazia frio e ele ficou sem dinheiro para comprar um pouco de couro e continuar trabalhando. 

- 'Este é o meu último par de tiras de couro, disse o sapateiro com ar desconsolado à sua esposa. Se não os vendo bem, não terei dinheiro para comprar mais couro’.  

O sapateiro foi dormir. Mas, nessa noite aconteceu algo incrível. Quando o relógio deu 12 badaladas, dois pequenos duendes apareceram como por magia na casa do sapateiro. Eles estavam nus e sentiam frio. Eles viram as tiras de couro sobre a mesa, mas ao invés de usá-las para se abrigar começaram a costurar uns sapatos para o sapateiro. Suas pequenas mãos eram muito ágeis. Conseguiram terminar os sapatos mais perfeitos que jamais ninguém tinha feito.

Quando o sapateiro despertou viu o par de sapatos sobre a mesa. Não podia crer no que estava vendo. Chamou sua mulher e lhe mostrou o milagre. Eram os sapatos mais perfeitos e elegantes que havia visto na vida. Assim que os colocou na vitrine entrou um homem e os comprou por um bom preço. Graças a esse dinheiro, o sapateiro conseguiu comprar mais couro para fazer sapatos. E na outra noite a história se repetiu. Os duendes apareceram às 12 horas em ponto e voltaram a costurar. Dessa vez, dois pares de sapatos. 

E assim passaram os dias. Seus sapatos eram os melhores e o sapateiro caiu na graça de um grupo de clientes ricos e agradecidos que admiravam o seu trabalho. 

Mas, o sapateiro queria saber o que acontecia toda noite. Sua curiosidade o fez esperar um dia atrás de uma poltrona. Então, ele pôde ver tudo. Às 12 horas os duendes apareceram mais uma vez, nus e mortos de frio. O sapateiro os olhou com assombro e se entristeceu. No dia seguinte ele contou para a sua mulher e eles decidiram costurar roupas quentinhas e uns sapatinhos para os duendes. Era noite de Natal. O casal deixou as roupinhas e os sapatos para os duendes sobre a mesa e foram dormir. 

Os pequeninos duendes apareceram às 12 como sempre e descobriram emocionados as roupinhas e os sapatos. 

- Será que isso tudo é pra gente? Perguntaram surpresos.

Vestiram a roupa rapidamente e ficaram aquecidos. Calçaram os sapatos e começaram a pular de alegria cantando: ‘finalmente somos duendes elegantes’. 

O sapateiro e sua esposa se alegraram muito em ver que os duendes tinham levado o seu presente. Nunca mais voltaram a vê-los, mas o sapateiro continuou trabalhando e jamais lhe faltou um cliente. 

Estefanía Esteban
Redatora de GuiaInfantil.com