Os erros mais comuns que são cometidos com os castigos

Conselhos para aplicar os castigos às crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A psicologia tem demonstrado que, em poucos casos, o castigo é efetivo. O objetivo na educação é consolidar as condutas positivas, e isso se consegue muito melhor com a recompensa. Consideramos como ‘recompensa’ a qualquer consequência positiva, e, cuidado, isso não deve ser confundido com prêmios materiais. A melhor recompensa para as crianças pode sair muito barato pra gente. É a atenção dos seus pais.  

Quais são os erros mais comuns que se cometem com os castigos?

os-erros-mais-comuns-cometidos-com-castigos A

Muitos pais abusam do castigo, confundindo com boa educação, e com isso conseguem que a situação piore cada vez mais. Dentro dos erros mais comuns que encontramos, estão: 

- Castigar a criança por períodos muito longos. A criança pensará que não damos oportunidade a ela de se portar bem e, como já está sendo castigada, ‘para que se esforçar no comportamento correto?

- Castigar-lhe com tudo o que ela gosta. Dessa forma, quando ela se comportar bem, como a recompensaremos? 

- Acumular o castigo durante vários dias. A cada dia deve ser dada à criança a opção de conseguir o objetivo e animá-la para que consiga. 

- Castigos desproporcionais.

Conselhos para que o castigo seja efetivo 

Em poucos casos, o castigo é efetivo, e para que ele o seja, tem que ser o mais passageiro possível à conduta que a gente queira castigar, ou seja, o mais próximo possível, e por um período de tempo curto. De nada serve castigar  uma criança sem assistir a televisão no final de semana, quando brigou com o seu irmão na quinta, porque quando chegar o momento da aplicação do castigo, primeiro, a criança não vai se lembrar do motivo e segundo, porque rompemos a possibilidade de premiar as condutas nesse intervalo de quinta a sábado.

Trata-se de aprender a distinguir entre o que está bem feito do que não é correto com diferentes comportamentos. Assim, quando as crianças estejam realizando as condutas que queremos ensinar, devemos estar com elas, recompensar o seu comportamento e premiar a criança quando se portar bem. Por outro lado é recomendável não dar mais atenção às condutas negativas, que queremos que desapareçam.

Silvia Álava Sordo

Psicóloga e Diretora da Área Infantil 

do Centro de Psicologia Álava Reyes Consultores. 

Colaboradora de GuiaInfantil.com