Curiosidades relacionadas com o Natal

Vilma Medina

Vilma Medina

O Natal é um acontecimento especial em muitos países do mundo, e essa tradição já está arraigada nos corações das famílias que tem transmitido sua celebração de geração em geração. 

A grande quantidade de coisas ao redor do Natal está cheia de curiosidades, que chamam a atenção pela transformação que vêm sofrendo algumas delas com o passar do tempo, e outras que, apesar do tempo, se mantêm intactas. 

A origem das tradições natalinas

As curiosidades do Natal 

A chegada do Papai Noel, Santa Claus ou São Nicolau, como é conhecido esse personagem em diferentes países, é um dos acontecimentos mais esperados do Natal. A figura do Papai Noel com o trenó, as renas e os sacos cheios de brinquedos, é na realidade uma invenção dos Estados Unidos desde o século XX, que se baseia na vida e lenda de São Nicolau. No Brasil, alguns shoppings fazem da chegada de Papai Noel um evento fantástico. Alguns Papais Noéis chegam a estádios ou pátios de shoppings em um helicóptero, e fazem a alegria da criançada.  

Ainda que, em alguns lugares, o dia de São Nicolau seja celebrado no dia 6 de dezembro, em honra do bom santo que ajudava as crianças e entregava balas e alimentos a elas, a tradição transformou a imagem de São Nicolau ou Papai Noel em um ancião gordo que viaja desde o Pólo Norte, onde mora, onde mora, e num trenó puxado por seis renas e sinos de prata, vem repartindo presentes por todo o mundo.

A Missa do Galo é celebrada no dia 24 de dezembro à meia noite, quando se comemora o nascimento do Menino Deus. O costume vem dos ritos dos templos de Jerusalém. Ali, os católicos celebravam três missas no dia do nascimento do menino Jesus: uma à noite na Gruta da Natividade, santificando assim a hora do nascimento do Senhor, outra ao amanhecer, como sinal da ressurreição, relembrando que Deus se fez homem, e uma terceira no templo, sendo esta o ofício solene do dia. 

No mundo ocidental, os cristãos celebram o Natal no dia 25 de dezembro desde o reinado do Papa Telésforo, por volta do ano 125. 

A tradição de montar o presépio tem origem italiana por volta do ano de 1223. Conta a tradição que na vila italiana de Greccio, São Francisco de Assis reuniu aos vizinhos para celebrar a missa de meia noite em volta de um presépio e em torno da figura do Menino Jesus, que o próprio São Francisco havia feito com as suas próprias mãos. Cantaram alguns louvores ao Mistério do Nascimento e no momento mais solene da missa, aquela figura imóvel adquiriu vida, sorriu e estendeu as mãos para o Santo de Assis. O milagre tinha acontecido diante da vista de todos, e desde então, a fama dos presépios se espalhou por todo o mundo. O Papa João Paulo II, em 1986, a pedido das associações responsáveis pelos presépios de todo o mundo, proclamou São Francisco de Assis como patrono universal dos presépios. Alguns lugares no Brasil apresentam o presépio vivo, com Maria, José, o menino Jesus e os animais com pessoas e animais reais para retratarem esse mágico momento. 

A árvore de Natal decorada acredita-se que seja originária da Alemanha e que data do século XVII. Segundo as crônicas, em 1605, uma árvore foi decorada para ambientar o Natal e este costume germano se espalhou posteriormente pelo resto da Europa e América. O pinheiro representa no Natal uma demanda de prosperidade à divindade. O primeiro pão doce foi feito em Milão, por encargo do duque Sforza, que pediu uma comida especial para o Natal que contivesse no seu interior frutas secas e passas de uva, e que decidiu batizar como “panettone”. 

Os cartões de Natal começaram a serem utilizados desde 1846, ano em que se imprimiu o primeiro postal em Londres. Foram inventadas por sir Henry Cole, que no ano de 1843 encarregou a um amigo pintor que desenhasse e pintasse uma cena natalina, que logo mandaria reproduzir em uma gráfica. Em todas elas, Cole escreveu uma mensagem de felicidade, depois assinou e enviou pelo correio a todos os amigos e familiares. Hoje, com a tecnologia em alta, são poucas as pessoas que enviam cartões de Natal pelo correio e preferem mensagens prontas ou fazê-las com muita criatividade e enviá-las pela internet e páginas sociais. 

O Natal é a festa que por excelência significa o renascimento e o renovar de fantasias e esperanças. Se você tiver mais alguma curiosidade das tradições natalinas, pode compartilhar com a gente. 

Marisol Nuevo
Redatora de Guiainfantil.com

O valor do Natal para as crianças

O valor do Natal para as crianças

A época do Natal é uma oportunidade muito importante para os pais ensinarem seus filhos sobre os prejuízos que envolvem o consumismo exagerado. Não é uma tarefa fácil, mas quando a criança aprende a dividir e a doar ela se torna mais feliz.

Como comemorar o primeiro Natal do bebê

Como comemorar o primeiro Natal do bebê

O bebê que acaba de nascer não compreende o sentido ou o significado do Natal. Isso não significa que ele não possa participar das festas, pelo contrário, ele deve ser incluído de uma maneira especial nas festas natalinas.

A cartinha para Papai Noel

A cartinha para Papai Noel

A carta de Natal é uma das tradições natalinas que as crianças mais gostam. Nela escrevem todos os brinquedos, presentes e desejos que têm e que desejam que se torne em realidade. Ajude o seu filho a escrevê-la ao mesmo tempo que ensina a ele valores importantes.

O primeiro Natal do seu bebê

O primeiro Natal do seu bebê

Viver o Natal com um bebê em casa. Se durante esse ano seu bebê nasceu, com certeza que esse Natal será diferente porque seu bebê veio aumentar a família e sua vida agora tem um novo sentido, e o seu pequeno é o centro das atenções, no amor, no olhar e carinho de toda a família.

Pais separados no Natal

Pais separados no Natal

Pais divorciados no Natal. Se este é um dos seus primeiros natais passando separado do seu cônjuge, não se desespere. Ainda que pareça estranho fazê-lo pela primeira vez, adorne suas festas natalinas com doses de naturalidade, humor, generosidade e boas vibrações. A criança é o foco principal.

0 comentarios