Uma em cada duas crianças é fumadora passiva

Vilma Medina

Vilma Medina

Uma de cada duas crianças é fumadora passiva por conviver com pais fumantes e apresentam até quatro vezes mais doenças respiratórias que os menores que não estão expostos à fumaça do cigarro, além de apresentar outras doenças com maior frequência como a síndrome da morte súbita do lactente. Segundo os médicos, estas crianças podem sofrer de asma, bronquite e de enxaqueca. 

Quando os pais são fumantes

uma-em-cada-duas-crianças-fumadora-passiva A

Todos nós sabemos que fumar é ruim para a nossa saúde e para os que habitualmente compartilham o mesmo espaço que a gente. Tenho um amigo que me comenta que não pode entender como existem mulheres que fumam quando gestantes ou pais que fumam no carro com seus filhos dentro. ‘Estão obrigando o seu filho a fumar!’ Dizia meu amigo enojado. E ele está completamente certo. Deixar o vício do cigarro é muito difícil, mas não impossível. Só é necessário escolher uma boa causa que nos motive.  Ainda que, atualmente a lei proteja as crianças da fumaça do cigarro em espaços públicos, em locais privados muitas vezes não se respeita aos pequenos, e o pior é que são seus próprios pais os que o fazem, aqueles que sem dúvida são os que mais os amam no mundo.

Com certeza nenhum pai faria dano ao seu filho de propósito, mas muitas vezes o seu vício de fumar pode ser perigoso para a criança, ainda que não notemos em curto prazo seus efeitos prejudiciais. O exemplo que lhes damos fumando, sem dúvida é ruim, já que é um hábito não recomendável para ninguém, e o seu filho, quando for maior, talvez imite o comportamento que tenha visto em sua casa. Mas, muito mais grave é o mau exemplo que lhes damos, obrigando com que nossos filhos sejam fumadores passivos

A exposição contínua à fumaça de um cigarro aumenta a possibilidade de que nosso filho adoeça, sobretudo de doenças que afete suas vias aéreas, podendo apresentar catarros, asma, bronquite, etc. Inclusive que acabem sofrendo de um dano pulmonar. No caso de uma infecção viral também tenderá a se agravar, ou pelo menos terá mais dificuldade para melhorar nos casos de infecções por vírus.

Nossos filhos também querem ter uns pais saudáveis e de que sejamos responsáveis na hora de emitir fumaça. Assim que, os pais devem deixar de fumar, e se isso parecer uma missão impossível, pelo menos deixar de fazê-lo nos ambientes em que os seus filhos estiverem. Permita que a sua casa e o seu carro estejam livres da fumaça para que o seu filho possa deixar de ser fumador passivo. O seu filho é a sua melhor motivação para deixar de fumar!  

Patro Gabaldón

Redatora de GuiaInfantil.com

Crianças fumadoras passivas. Dia Mundial contra o Tabaco

Crianças fumadoras passivas. Dia Mundial contra o Tabaco

Dez por cento das crianças são fumadoras passivas. Há pouco tempo foi comemorado o Dia Mundial contra o Tabaco, e como em todos os anos, foi chamada a atenção para todas as medidas e disposições para convencer as pessoas que deixem de fumar.

Fumar durante a gravidez

Fumar durante a gravidez

O cigarro durante a gravidez. O cigarro não só causa danos a quem fuma, mas também a quem está ao seu lado e no caso da gestante, ao feto que estará se formando e crescendo no seu ventre. Fumar e expor às crianças a problemas de saúde é um ato extremamente egoísta.

Exposição ao tabaco e ao chumbo: mais crianças hiperativas

Exposição ao tabaco e ao chumbo: mais crianças hiperativas

O tabaco, durante a gestação e amamentação, pode provocar casos de morte súbita nos bebês, problemas respiratórios, câncer e outras doenças congênitas, mas a exposição dos bebês ao tabaco, multiplica as possibilidades que a criança sofra de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH).

Como o costume de fumar afeta a saúde do bebê

Como o costume de fumar afeta a saúde do bebê

Todos nós sabemos que fumar faz mal, tanto para saúde de quem fuma como para quem está ao lado de quem fuma. Há pouco tempo um estudo revelou que mais de 10% das mulheres fumam ao longo das suas gravidezes. E a pesquisa ainda revela que quanto mais jovem for a gestante, mais ela fuma. Os especialistas insistem que se as mulheres grávidas não tivessem fumado se poderia ter evitado até 5% das mortes infantis.

0 comentarios