Exposição ao tabaco e ao chumbo: mais crianças hiperativas

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Conheço algumas mulheres que já tentaram de tudo para deixar de fumar, mas somente quando souberam que estavam grávidas que deixaram o cigarro pensando na saúde do seu bebê. Muito poucas grávidas são as que não conseguem deixar de fumar durante a gestação. Tomara que depois que leiam essa matéria, mude de idéia e faça um esforço ainda maior para deixar de fumar pelo bem estar do seu pequeno.

A relação do tabaco e o chumbo com crianças com TDAH

exposição-ao-tabaco-e-ao-chumbo-crianças-hiperativas A 

O tabaco é prejudicial para todas as pessoas, mais ainda quando estão grávidas. O dano não afeta somente a mãe, mas acaba prejudicando uma criaturinha indefesa. Até hoje, as pesquisas demonstraram que o tabaco, durante a gestação e amamentação, pode provocar casos de morte súbita nos bebês, problemas respiratórios, câncer e outras doenças congênitas. Estudos mostram que a exposição dos bebês ao tabaco, multiplica as possibilidades que a criança sofra de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), comparados com bebês de mães que não tem esse vício. 

O estudo também revela que a exposição do bebê ao chumbo, aumenta o risco que a criança sofra de hiperatividade. Por essa razão, os pesquisadores defendem que os pais devem estar conscientes de que a exposição pré-natal ao tabaco e ao chumbo na infância está relacionado com maiores possibilidades de TDAH nos seus filhos, e terão que buscar medidas para reduzir este risco. Para que o bebê não se exponha ao tabaco, a única coisa que os pais podem fazer é abandonar o tabaco.

No caso do chumbo, os pais deveriam evitar que seus filhos tivessem acesso a pinturas de chumbo antigas, que deixem a água correr mais tempo pela torneira antes de utilizá-la (a concentração de chumbo pode ser maior nas tubulações mais antigas), que lavem bem as mãos antes de comer e que consumam uma dieta rica em ferro e cálcio, nutrientes que evitam a absorção do chumbo no organismo. O chumbo também pode ser encontrado em alguns brinquedos infantis fabricados em outros paises e louças de cerâmicas e muitos outros produtos e locais. O chumbo também se encontra no solo e as crianças podem absorvê-lo e digeri-lo após brincarem no chão. 

No estudo aqui citado participaram quase 4 mil menores entre 8 e 15 anos. Quase 9% das crianças eram hiperativas. As crianças expostas ao tabaco durante a gestação tinham quase três vezes mais possibilidades de sofrer TDAH do que aquelas que não tiveram contato com a fumaça no útero. Os pesquisadores insistem que seria possível diminuir em 35% os casos de hiperatividade em crianças de 8 a 15 anos, se elas evitassem o contato com o tabaco e o chumbo. Milhares de crianças poderiam se livrar da hiperatividade se houvesse uma prevenção neste sentido.