Conto infantil. João Sem Medo

Contos para crianças sobre o medo

O medo é um dos problemas infantis que mais preocupam aos pais. Este conto de João Sem Medo dá um exemplo de que todos em um determinado momento sentem medo, em grande ou pequena medida. 

Contos clássicos para crianças que falam do medo: João sem medo

conto-infantil-João-Sem-Medo A 

Era uma vez em uma pequena aldeia um ancião pai com seus dois filhos. O mais velho era trabalhador e enchia de alegria e de satisfação o coração do seu pai, enquanto o mais novo só lhe dava desgostos. Um dia o pai lhe chamou e disse: 

- Meu filho, você sabe que eu não tenho muita coisa para deixar para você para o seu irmão, e, no entanto, você ainda não aprendeu nenhum ofício que te sirva para ganhar o pão. O que você gostaria de aprender? 

João lhe respondeu: 

- Muitas vezes ouço relatos que falam de monstros, fantasmas, e, ao contrário das pessoas, eu não sinto medo. Pai, eu quero aprender a sentir medo. 

O pai chateado lhe gritou: 

- Estou falando do seu futuro e você quer aprender a ter medo? Se for o que você quer, tudo bem você irá aprender. 

João recolheu suas coisas, despediu-se do seu irmão e do seu pai e empreendeu o seu caminho. Próximo a um moinho ele encontrou a um sacristão que iniciou uma conversa. Ele se apresentou como João Sem Medo. 

- João Sem Medo? Que nome estranho! Surpreendeu-se o sacristão. 

- Você verá que nunca eu conheci o medo. Eu saí da minha casa com a intenção de que alguém possa me mostrar o que é – Disse João. 

- Talvez eu possa ajudá-lo. Contam que mais além do vale, muito longe, tem um castelo encantado por um mago malvado. O monarca que ali governa prometeu a mão de sua linda filha àquele que consiga recuperar o castelo e o tesouro. Até agora, todos os que tentaram fugiram assustados ou morreram de medo. 

- Talvez, quem sabe ali eu possa sentir medo... Animou-se João. 

João decidiu caminhar, vislumbrou ao longe as torres mais altas de um castelo em que tinham bandeiras hasteadas. Aproximou-se e se dirigiu à residência do rei. Dois guardas reais cuidavam da porta principal. Juan se aproximou e disse: 

- Sou João Sem Medo e desejo ver ao vosso Rei. Talvez me permita entrar no seu castelo e sentir isso ao que chamam de medo. 

O mais forte lhe acompanhou ao Salão do Trono. O monarca expôs as condições que outros candidatos já tinham escutado: se você conseguir passar três noites seguidas no castelo, derrotar aos espíritos e devolver-me o tesouro eu te concederei a mão da minha amada e bela filha, e a metade do meu reino como dote.  

- Eu o agradeço, sua Majestade, mas eu só vim para saber o que é o medo – disse-lhe João. 

‘Que homem tão valente, que honesto’, pensou o rei, mas ‘já tenho poucas esperanças de recuperar meus domínios, pois tantos já tentaram até agora’ – João Sem Medo se dispôs a passar a primeira noite no castelo. Ele foi despertado com um alarido impressionante. 

- Uhhhhhhhhh!- um espectro tenebroso se deslizava sobre o solo sem tocá-lo. 

- Quem é você que se atreve a me acordar? – perguntou João. 

Um novo alarido como resposta, e João Sem Medo lhe tapou a boca com uma bandeja que adornava a mesa. O espectro ficou mudo e se desfez no ar. Na manhã seguinte o soberano visitou a João Sem Medo e pensou: ‘É somente uma pequena batalha. Ainda faltam duas noites’. 

O dia se passou e o sol se foi. Como na noite anterior, João Sem Medo se dispunha a dormir, mas dessa vez lhe apareceu um fantasma espantoso que lhe lançou um bramido Uhhhhhhhhh! – João Sem Medo pegou um machado que estava pendurado na parede e cortou a cadeia que o fantasma arrastava a bola. Por não estar preso, o fantasma se elevou e desapareceu. 

O rei lhe visitou ao amanhecer e pensou: ‘Nada disso terá serventia se não se repetir uma façanha a mais’. Chegou o terceiro entardecer, e depois a noite. João Sem Medo já dormia quando escutou se aproximar dele uma múmia assustadora, e perguntou: 

- Diga-me o motivo que você tem para interromper o meu sono. 

Como não respondia, ele agarrou um extremo da venda e começou a puxar. Retirou todas as vendas e encontrou a um mago: 

- Minha magia não vale contra você. Deixa-me livre e eu quebrarei o encantamento. 

A cidade estava toda reunida às portas do castelo, e quando apareceu João Sem Medo o soberano disse: Cumprirei a minha promessa! Mas, a história não acabou aqui. Certo dia em que o agora príncipe dormia, a princesa decidiu surpreendê-lo presenteando-o com um aquário. Mas, tropeçou ao se inclinar e o conteúdo, água e peixes caíram sobre o leito onde João estava. 

- Ahhhhhh! – Exclamou João ao sentir os peixes no seu rosto – Que medo!

A princesa ria vendo como uns simples peixinhos coloridos tinham assustado ao que permaneceu impassível diante de espectros e fantasmas – Eu guardarei o segredo, disse a princesa. E assim aconteceu e até hoje ele é conhecido como João Sem Medo. 

FIM

Um conto dos irmãos Grimm

  • Dia Mundial do Livro e as crianças
    Dia Mundial do Livro e as crianças

    Promover a difusão do livro como um fator de enriquecimento cultural foi a meta da Conferência Geral da UNESCO quando escolheu o dia 23 de abril como o Dia Mundial do Livro. No ano de 1926, na Espanha, se instaurou nessa mesma data, o Dia do Livro, já que coincidia com a morte de Miguel de Cervantes, Shakespeare e de Maurice Druon.

    • Buscando a paz. Contos de valores para crianças
      Buscando a paz. Contos de valores para crianças

      Havia uma vez um rei que ofereceu um grande prêmio àquele artista que pudesse captar numa pintura a paz perfeita. Muitos artistas então tentaram expressar a paz. O rei observou e admirou todas as pinturas, mas somente houve duas pinturas que ele gostou e teve que escolher entre elas.

0 comentários