Quanto tempo as crianças podem ver televisão

O ideal é que o tempo de exposição em frente a TV não superasse os 60 minutos diários

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Muitos pais se perguntam: “Quanto tempo meu filho pode passar em frente à televisão?” Segundo os últimos estudos, as crianças brasileiras batem recordes quanto ao tempo que passam em frente à televisão, seguidos dos norte americanos. A média dos brasileiros chega a mais de 3 horas e meia em frente à TV. O ideal seria que o tempo de exposição não superasse os 60 minutos diários.

A relação entre o tempo em frente à TV e a saúde mental pode ser indireta, mas o comportamento sedentário tem ligação direta com a obesidade infantil, dificuldades para dormir e prejuízo da linguagem. 

As crianças em frente à televisão

Atualmente nos canais fechados tem espaços dedicados exclusivamente à programação infantil, com séries para o café antes de ir para o colégio, para merendar, inclusive para passar a manhã quando a criança está mal de saúde em casa ou à tarde quando não tem deveres.

Para evitar que as crianças passem muitas horas em frente ao televisor, os pais devem selecionar programas específicos para elas, que sejam adequados ao seu nível de desenvolvimento, e, sobretudo, é recomendável estabelecer certos períodos de tempo em que a televisão deve estar desligada. Tudo é uma questão de disciplina.

Sendo assim, nas horas de estudo, que requerem um nível de concentração para se dedicarem à aprendizagem, não é para estarem sentadas em frente à televisão. O mesmo deveria ocorrer nas horas das refeições, que são para os membros da família conversar, colocando as novidades em dia, e não assistindo TV.

Se o que pretendemos é que eles sejam responsáveis com respeito ao tempo e aos conteúdos que veem na televisão, também podemos ensiná-los a usar a programação da televisão de uma maneira saudável e positiva.

Como conseguiremos essa façanha? Vendo os programas com eles, conversando sobre os valores positivos ensinados, mostrando a conduta positiva dos personagens ou reprovando condutas negativas como a violência, bullying, maus tratos aos mais velhos, animais, etc. Ainda podem comparar situações que aparecem nos filmes com episódios da vida real, além de sermos críticos com o papel da publicidade e sua influência nas compras. E nunca esquecer que o melhor ensino é o exemplo.