Como é o aprendizado dos bebês nas creches

O que e como aprendem os bebês nas escolas infantis

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

As creches são lugares onde deixamos nossos filhos, não somente para que cuidem deles enquanto trabalhamos. Elas têm uma série de funções e objetivos que devem alcançar com as crianças. Vamos ver algumas funções e métodos que as creches seguem no desenvolvimento da criança.

As crianças até os três anos de idade, deverão chegar a um grande número de metas e desenvolvimentos. Ainda que pareça que a criança não tenha esforço algum, a ajuda para trabalhar cada área na consolidação dos objetivos é muito importante.

Como os bebês aprendem nas creches

Dependendo da creche, podemos encontrar mais ou menos trabalhos que fazem parte de um projeto educativo para o desenvolvimento infantil. As encarregadas desse projeto são as professoras ou educadoras de cada classe, já que são as que mais conhecem as crianças da sua sala.

Vamos relembrar aspectos básicos e mínimos que devem ser trabalhados nas creches. As três áreas serão trabalhadas conjuntamente e desde o primeiro dia do bebê na creche.

1. Conhecimento e autocontrole:

Os bebês demoram meses para tomarem conhecimento do que são. A primeira coisa que perceberão são suas mãos, o que vai gerar um grande passo na sua consciência. Somos nós mesmos os encarregados para que a criança crie uma imagem sadia de si mesma, sem complexos. Durante os três primeiros anos de vida, isso se consegue com atividades nas quais tenham que reconhecer seu corpo através de desenhos e fotos. Mas, sobretudo com muitas atividades. O espelho e a relação com as demais crianças aceleram e potencializam o aprendizado.

O domínio e controle perfeito do seu corpo devem ser finalizados antes de sair da creche. São aspectos que devem ser trabalhados desde bebês, ajudando a exercitar os músculos e adquirirem equilíbrio.

A motricidade fina: É a que se encarrega dos movimentos sensíveis, precisos. Um exemplo será dar um laço nos tênis ou sapatinhos, ou conseguir acertar a colher na boca. São movimentos de precisão. Para trabalhar a motricidade temos um grande número de atividades como as fichas educativas com traços e formas, além de todos os brinquedos de montar peças.

A motricidade grossa: É a responsável pelos movimentos mais “bruscos”, por exemplo, nos deslocamentos no quarto, pular, se levantar... Algumas brincadeiras como pega-pega, esconde-esconde, um circuito de psicomotricidade, dança...

2. Conhecimento do meio:

Outro aspecto que é responsabilidade das creches é que a criança descubra tudo o que a cerca. Para a criança, tudo é novo, e esse é o melhor momento para explorar o mundo e começar a acumular conhecimento. As educadoras são as responsáveis para que a criança entenda tudo que a cerca. Conhecer e entender o mundo que as rodeia não é nada fácil. Compreender o tempo e como mudam os dias, meses e estações também faz parte desse conhecimento do meio. 

Descobrir os diferentes membros da família, os diferentes ambientes como a casa ou a escola faz parte do ensino. A relação com os amiguinhos da creche ajudará a desenvolver a empatia com seus companheiros, sempre através de brincadeiras.

3. A linguagem:

Ainda que seja o terceiro item, é de igual importância que os demais, mesmo sendo direcionado mais tarde do que as outras áreas. Em alguns centros e creches bilíngues se começa desde o primeiro dia de escola. Em geral, a partir dos doze meses de idade a criança começa a dizer suas primeiras palavras, embora para que isso aconteça seu cérebro tenha que amadurecer e passar por um grande número de obstáculos.  Esses obstáculos são mais fáceis de serem transpostos se seguirmos um método e trabalharmos (com brincadeiras e jogos) desde os primeiros meses de vida da criança.

Celia Garabaya
Técnico Superior em Educação Infantil
Infant massage instructor by IAIM (Educadora em massagem infantil)
Diretora pedagógica da British Bubbles
Colaboradora de GuiaInfantil.com