Como escolher uma boa creche para seu filho

Dicas para escolher a melhor creche para as crianças

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

É importante que ao escolher uma boa creche, esta não se limite apenas a 'vigiar' às crianças, mas que lhes proporcionem um ambiente acolhedor, seguro, em que os profissionais formados disponham de uma base de conhecimento adequada e apropriada para fazer da passagem do seu filho pela creche, algo entretenido e educativo.

Como escolher uma creche ao bebê

Como escolher uma boa creche para a criança

A escola deve oferecer confiança às famílias e aos pequenos. Se os pais se encontram satisfeitos com a escolha será mais fácil que seus filhos aceitem e se adaptem bem à mudança.

É aconselhável que a creche esteja localizada perto do domicílio familiar. Os amiguinhos que seu filho fizer na creche, serão amigos da vizinhança. Os pais devem visitar várias creches e informarem-se sobre o funcionamento e a organização de cada uma delas. Para isso, é necessário ter um pouco de tempo. Observem a relação do pessoal, com se falam e se comportam. Façam todas as perguntas, que creiam que sejam necessárias. E que não fiquem dúvidas, se for possível. 

Todos os centros, tanto públicos, como privados, devem ajustar-se aos órgão responsáveis para o funcionamento das creches.

Até o final do ano de 2008, o governo federal no Brasil prometeu investir R$ 341,7 milhões na construção de 484 creches e escolas de educação infantil em 484 municípios, nas cinco regiões do país. Os 131 municípios que ainda não receberam orientação técnica para a construção e apoio pedagógico para o funcionamento das creches participarão de dois encontros: em Florianópolis e em Brasília. São as últimas reuniões organizadas pela Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC) para esse fim.

As novas escolas fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação e Aparelhagem da Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância), uma ação do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), que busca incluir crianças de zero a cinco anos e 11 meses na rede pública de ensino. O encontro de Florianópolis reunirá representantes de 37 municípios da região sul. Em Brasília, representantes de 94 municípios das demais regiões do Brasil se reunirão para receber orientações e esclarecer dúvidas.

A coordenadora geral de educação infantil da SEB, Rita de Cássia, explica que os encontros foram importantes para orientar os representantes municipais de que a construção da obra precisa estar atrelada a uma proposta pedagógica consistente a fim de assegurar ensino infantil de qualidade às crianças. 'O município não pode se preocupar com a proposta pedagógica depois que a obra já estiver pronta', avisa.

É preciso pensar como vai ser a rotina das crianças, quais serão os critérios de matrícula e como fortalecer a relação com as famílias, exemplifica Rita. Outra orientação aos representantes municipais diz respeito à autorização de funcionamento das instituições de educação infantil. As creches precisam estar autorizadas pelo conselho municipal ou estadual de educação. 'Além disso, a terceira exigência é que a instituição funcione com professores habilitados no magistério', completa Rita.

De acordo com a coordenadora, a intenção é dar continuidade aos encontros para assessorar os municípios em relação ao funcionamento pedagógico das instituições e orientá-los quanto ao atendimento das crianças.

Até quantas crianças devem ter por sala?

Quanto menores são as crianças maior deve ser a atenção que necessitam. Assegurem-se de que o número de crianças por educador cumpra a norma vigente. Segundo o marco legal, só podem estar:

- Em caso de crianças menores de 12 meses, 8 crianças por sala.

- Se têm entre um e dois anos, 20 crianças por sala.

- Se já têm entre três e seis anos, 25 crianças por sala.

Como deve ser o espaço e as instalações?

O espaço tem que ser amplo e exclusivo, com acesso independente ao exterior. Para cada criança, dois metros quadrados mínimos nas salas. A dos menores de dois anos, as áreas de descanso e higiene devem estar diferenciadas. Tem que contar também com uma sala de utilização múltipla. O refeitório, por exemplo.

É obrigatório que tenha um pediatra e algum especialista em educação especial?

Não é obrigatório que haja um pediatra, mas é conveniente que ofereçam este serviço médico que tem a função de prevenção.

Se seu filho tem algum tipo de necessidade educativa especial, o centro deve possuir recursos humanos e materiais de apoio determinados pela administração educativa correspondente.

E o controle higiênico?

Existem controles periódicos por parte das autoridades competentes para comprovar o perfeito estado dos centros que devem cumprir as obrigações que fazem parte da legislação vigente, e também contar com um espaço apropriado para o refeitório e a cozinha. Os pais podem visitar a cozinha e fazer perguntas sobre o menú, por exemplo.

A zona de recreio

Para cada nove salas de aula, com uma superfície inferior aos 75 metros quadrados, todas as escolas infantis devem dispor de um pátio exterior de jogos, exclusivamente do centro escolar.

Preparação acadêmica dos educadores

Os cuidadores ou educadores que atendem às crianças entre 0 e 3 anos, devem ter, no mínimo um título de jardim de infância, e os que atendem as crianças entre 3 e 6 anos, devem ser habilitados no magistério.