Crianças canhotas. Escrever com a mão esquerda

A criança é destra ou canhota desde o momento em que nasce

Vilma Medina
Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Os estudos indicam que entre 12 e 15% da população mundial é canhota. Também revelam que o fenômeno de ser canhoto é mais comum nos homens (11%) do que nas mulheres (9%), sem que esteja determinado o porquê. 

Uma pessoa canhota é a que tem preferência em usar a mão esquerda para uma variedade de ações como pegar, jogar, acenar, escrever e manipular.

Quando se detecta uma criança canhota na infância

crianças-canhotas-escrever-com-mão-esquerda A

Também inclui uma predileção em preferir o pé esquerdo para dar o primeiro passo para caminhar, montar em uma bicicleta, chutar uma bola, pular corda, etc. Em norma geral, ser canhoto significa ter em algum grau um domínio do lado direito do cérebro.

Há muito tempo atrás, a criança canhota não era vista com normalidade. Pensava-se que ser canhoto era um problema de saúde. Hoje em dia, já se sabe que ser canhoto não é uma doença. É apenas uma característica da criança que não se pode nem se deve corrigir. 

Normalmente é na escola que se detecta que uma criança seja canhota, porque é quando começa a utilizar as mãos com mais frequência. Até os 3 ou 4 anos, as crianças utilizam as duas mãos indistintamente. Para comprovar se uma criança é canhota ou destra, deve-se observar que mão, pé ou olho ela utiliza quando: 

- Chuta uma bola 

- Escova os dentes 

- Se penteia

- Pega um copo 

- Pula a corda 

- Tampa ou destampa um frasco 

- Olha por um caleidoscópio 

- Escreve 

- Tira uma foto 

O olho, a mão ou o pé escolhido naturalmente para realizar as ações pode ser o dominante. 

A criança já nasce canhota ou destra 

Uma criança é canhota não porque ela o decidiu assim. Os especialistas confirmam que uma pessoa é destra ou canhota desde o momento em que nasce.

Muitos pais se perguntam se existem técnicas para que possam mudar o domínio da mão esquerda do seu filho para a direita, como se isso se tratasse de uma decisão do menino ou da menina. O domínio da mão, seja direita ou esquerda, é o cérebro que determina.

O lado direito controla a mão esquerda e o lado esquerdo a mão direita. Por esta razão, uma criança canhota não pode ser obrigada a escrever com a mão direita. Não existe treinamento algum que a faça mudar. Por mais esforços que se faça, a criança continuará tendendo a usar a mão esquerda para a realização de ações, já que isso faz parte da sua natureza e não de um hábito ou um costume que a criança tenha adquirido.

Se os pais quiserem obrigar uma criança a utilizar a mão ‘mais fraca’ e menos hábil na realização das tarefas, os resultados podem ser frustrantes para ela. Isso a deixará esgotada e mais lenta.

Mudar as preferências laterais da criança contribui com desvantagens como dificuldades para distinguir a direita da esquerda, transtornos na escrita, dislexia, e inclusive gagueira. A principal preocupação que existe quanto a uma criança ser canhota é a adaptação dela a um mundo feito, na sua maioria, para os destros.

Causas responsáveis por uma criança nascer canhota 

Alguns estudos afirmam que a genética é uma das causas que podem causar uma criança nascer canhota. Uma criança de pai canhoto tem aproximadamente 10% de probabilidade de sê-lo também. No caso em que seja a mãe canhota, essa probabilidade aumenta em 20%. Se tanto a mãe como o pai são canhotos, a probabilidade de uma criança nascer canhota é de 50%. 

No entanto, existem outros fatores que também explicam o porquê uma criança nasce canhota. Existem pesquisas que relacionam um alto nível de testosterona (hormônio masculino) presente no útero da mãe antes do nascimento do bebê.

Outras revelam que lesões em um hemisfério cerebral do bebê, durante a gravidez ou nos dois primeiros meses de vida, podem induzir que um deles se desenvolva mais. Se for o hemisfério esquerdo o lesionado, provavelmente se desenvolva uma criança canhota. 

Outra coisa pode acontecer durante as ecografias ou ultrassonografias durante a gravidez, porque podem afetar o cérebro do feto, fazendo com que se desenvolva uma personalidade canhota.