Mudanças no aparelho respiratório durante a gravidez

Como o pulmão e o diafragma mudam nas gestantes

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

Durante a gravidez, a maioria dos órgãos mais importantes no corpo da mulher, se desloca. A razão é que devem dar lugar ao bebê. 

O útero vai crescendo com o passar dos meses de gestação e órgãos como o coração, o estômago e o diafragma, devem ceder o seu espaço. É aí que as gestantes começam a notar alguns incômodos, sobretudo relacionados com as mudanças no sistema circulatório e essa ‘maior dificuldade’ para respirar, devido à modificação do diafragma. 

Mudanças no sistema respiratório da gestante

mudanças-no-aparelho-respiratório-gravidez A

O crescimento uterino modifica, por exemplo, a posição do diafragma e da caixa torácica, aumentando sua circunferência como resposta à elevação diafragmática. Devido a essas mudanças, os volumes das distintas capacidades pulmonares se vêem modificados também. 

Essas mudanças também se manifestam com sensação subjetiva de falta de ar (dispnéia), sendo isso um dos motivos frequentes de consulta médica de urgência das gestantes

Os hormônios e as mudanças na respiração durante a gravidez

Os hormônios da gravidez também provocam mudanças nas vias aéreas, aumentando e diminuindo as resistências das mesmas de acordo com a área. Além disso, por causa dos ditos hormônios, a mucosa que recobre as vias respiratórias se encontram muito vascularizadas favorecendo o sangramento, sobretudo pelo nariz, incômodos na garganta e mudanças na voz. 

Essas mudanças (tanto anatômicas como fisiológicas) no aparelho respiratório também produzem mudanças quanto ao nível do equilíbrio ácido-base da grávida. A gestante tem tendência à alcalose respiratória (aumento do ph do plasma sanguíneo), que devido à hiperventilação (resultante da ansiedade, dor, choque), elimina um excesso de CO2. Isso favorece a estimulação do centro respiratório da gestante. Essa hiperventilação na gravidez, por um lado pode causar constantes tonturas e inclusive algum desmaio na gestante, mas também favorece que o futuro bebê receba mais oxigênio.  

Julita Fernández

Professora de Dança Oriental para gestantes

Especialista e3m treinamento aquático para gestantes