Os riscos laborais da mulher grávida

Os perigos que a gestante pode estar exposta no seu trabalho

A gravidez é uma circunstância excepcional que requer mais cuidados quanto à proteção da mãe e seu futuro bebê. É necessário que se conheça os principais fatores de risco no posto de trabalho para a gestante, e como prevenir determinadas situações que podem se tornar perigosas tanto para ela como para o bebê que carrega no seu ventre. Existem profissões mais perigosas que outras para a gestante.

Os riscos mais comuns no trabalho

Riscos laborais da mulher grávida

Dependendo da função que a gestante exerce no trabalho, ela pode sofrer mais ou menos riscos. Os riscos podem ser físicos, biológicos, químicos, ambientais, etc. O que pode representar um risco para a sua saúde?

1. Riscos físicos. Os choques, certos movimentos e posturas, vibrações e ruídos, radiações, temperaturas extremas, fadiga mental e física, são algumas situações que podem afetar a gestante no seu posto de trabalho, principalmente se ela é enfermeira, dentista ou trabalhadora do setor industrial ou da construção. 

2. Riscos biológicos. As grávidas que se dedicam ao cuidado de crianças ou que trabalham no setor sanitário e veterinário podem estar expostas aos riscos de infecção pelo vírus da hepatite B, rubéola, citomegalovírus, toxoplasmose, herpes e sífilis.

3. Riscos químicos. Grávidas que têm ocupações agrícolas, que sejam profissionais sanitárias e artesanais, que têm contato com substâncias como ácidos, gases, praguicidas, solventes, vernizes e pinturas, metais e outros elementos tóxicos, sofrem alto risco para a sua saúde.

4. Riscos ambientais. Os riscos ambientais afetam especialmente as mulheres que trabalham em ambientes com atmosferas modificadas como é o caso das comissárias de bordo, especialmente as que trabalham de dia e de noite. O mais aconselhável é que elas tenham apenas um turno de trabalho. 

5. Riscos psicossociais. As mulheres que trabalham num ambiente de muito estresse laboral e durante muitas horas, inclusive que ocupem um posto de trabalho solitário, podem sofrer de riscos psicossociais. O estresse, a ansiedade e a depressão podem colocar em risco sua gravidez.

6. Riscos ergonômicos. Trabalhar sempre em pé ou sempre sentada ou em posturas constantes e forçadas pode apresentar um risco para a gravidez.

Os riscos laborais e suas consequências para a grávida

•Risco de aborto precoce e tardio 

•Risco de parto prematuro 

•Risco de baixo peso do recém-nascido 

•Risco de múltiplas malformações fetais

•Risco de alteração no estado de saúde materna

•Risco de morte fetal

Casos indicados de licença maternidade do trabalho 

Qualquer gestante que suspeite que sua situação laboral é prejudicial para sua saúde ou para o bebê, deve consultar seu médico, que determinará se precisa entrar de licença maternidade ou incapacidade laboral transitória durante a gravidez.

1. O médico da família tomará essa decisão se a causa for médica, como lombalgia ou ciática, incômodos normais durante a gravidez.

2. O ginecologista determinará licença maternidade se observar uma causa obstétrica durante a gravidez ou risco de parto prematuro. 

3. O médico do trabalho ou da unidade de saúde laboral da empresa, ainda que não seja o médico protagonista da gestação, poderá determinar às mulheres que trabalham em profissões de risco, como a indústria química ou exposições a agentes nocivos, se precisam de licença maternidade ou mudar de departamento para não ocasionar riscos à grávida e ao bebê.

Fonte consultada:
- Instituto Vasco de Seguridad y Salud Laborales

Vilma Medina. Diretora de Guiainfantil

  • Toxoplasmose na gravidez

    Toxoplasmose na gravidez. Quando a toxoplasmose afeta a grávida, é um perigo para o bebê. Trata-se de uma infecção parasitária generalizada muito comum, causada por um parasita chamado Toxoplasma gondii.

    • Riscos da toxoplasmose durante a gravidez
      Riscos da toxoplasmose durante a gravidez

      Conheça os riscos da toxoplasmose para a mãe e para o feto. Quando uma mulher grávida contrai toxoplasmose pela primeira vez, existe 40 por cento de probabilidade de que transmita infecção ao feto.

0 comentários