A intolerância das crianças à frutose

A intolerância hereditária à frutose nas crianças

Vilma Medina Vilma Medina Diretora de Guiainfantil.com

A Intolerância Hereditária à Frutose (HFI) nas crianças é uma doença produzida pela ausência de uma enzima que transforma o açúcar contido na fruta e no mel. 

Essa alteração genética impede que a frutose seja sintetizada da forma adequada no organismo da criança, acumulando-se no fígado, rins ou intestino. 

Em que consiste a intolerância à frutosecriança-intolerância-frutose-menino-laranja A 

A frutose ou levulose é um tipo de açúcar que contém tanto a fruta como o mel. Enquanto o açúcar de mesa é formado pela união da glicose e frutose, a frutose em si é um monossacarídeo, por não sofrer hidrólise e por conter um único grupo funcional cetona. 

Isso significa que não tem a necessidade de ser digerida e pode passar diretamente à corrente sanguínea a partir do intestino, para finalizar o seu processo no fígado. Essa intolerância é causada por uma deficiência de atividade frutose-1-fosfato aldolase, que resulta no acúmulo de frutose-1-fosfato no fígado, rim e intestino delgado.

Sintomas e tratamento da intolerância à frutose em crianças 

Os primeiros sintomas que aparecem quando uma criança é intolerante à frutose, depois do consumo de um alimento com esse tipo de açúcar, são dores abdominais e vômitos, que podem terminar em uma hipoglicemia severa. 

O tratamento é basicamente preventivo. Deve-se controlar a alimentação da criança para evitar a ingestão de frutas ou mel. Além disso, devem evitar outro tipo de açúcares com a sacarose ou o sorbitol. 

Mas, ao erradicar a fruta da dieta da criança, também se está tirando a maior fonte de vitamina C, necessária para o correto desenvolvimento infantil. Por isso se recomenda suplementar a ausência desse nutriente. 

As frutas que mais contêm frutose são: maçã, pêra e o caqui. 

Diferença entre a Intolerância à frutose (HFI) e a má absorção da frutose 

A má absorção da frutose é uma doença mais comum que a intolerância hereditária à frutose, e acontece em aproximadamente 30% da população mundial. Nesse caso, são as células intestinais que não são capazes de absorver de forma completa a frutose, provocando na criança dor abdominal, gases, diarréia ou náuseas. 

Diego Fernández

Redator de Guiainfantil.com