Crianças hospitalizadas

Quando o filho está internado no hospital

Vilma Medina

Vilma Medina

Se por alguma razão você já esteve hospitalizada alguma vez, com certeza sabe que se trata de uma situação muito difícil, que quebra totalmente a rotina da vida. Imagine o que isso representa a uma criança. Se uma criança tem que estar bastante tempo internada em um hospital, ela necessitará de cuidados e de carinho. Tanto as enfermeiras como todo o pessoal médico buscam fazer o possível para que as crianças se sintam à vontade. Os profissionais tentam fazer que esse tempo seja o menos chato e que busque aproximar ao máximo possível à sua vida cotidiana. Mas, não deixa de ser uma tarefa muito complicada.

As crianças entendem a entrada em um hospital de maneiras muito diferentes. Tudo depende da idade que tenham, do caráter e do seu desenvolvimento psicomotor, de quantos dias terá que permanecer no hospital, da doença que esteja sofrendo, se sente dores e incômodos, se o seu físico sofreu alterações e que tipo de companhia fazem a elas.

O que fazer para ajudar as crianças hospitalizadas

crianças-hospitalizadas A

É importante, enquanto a criança estiver hospitalizada que receba todo o apoio necessário para que se recupere o quanto antes e volta à sua vida normal. Se você tem algum filho nesta situação, ajude-o. Para isso, a gente dá alguns pequenos conselhos:

1 - Fale com o seu filho sobre a sua doença, suas dúvidas e medos. Isso irá tirar qualquer preocupação com o que possa ocorrer no hospital e o deixará mais tranquilo. Se a criança se sente segura, ela irá se adaptar melhor a qualquer situação.

2 - Ainda que esteja em um hospital, não deixe de brincar com o seu filho. Através das brincadeiras, podem expressar seus medos e temores. Proponha a ele desenhar, conhecer o material médico (seringas, esparadrapo, etc.), e por sua vez poderá falar com ele sobre a sua recuperação.

3 - Ajude o seu filho a se curar participando sempre nos cuidados médicos. Você pode ajudá-lo em algum curativo, caminhar um pouco com ele pelo corredor do hospital, ajudá-lo a fazer exercícios de reabilitação e do que necessitar.

4 - Leve alguns livros ou revistas para o seu filho. Leia contos para ele, e em seguida exercite a interpretação do texto para que ele se distraia. Os jogos de mesa também são muito bons para se esquecer da rotina.

5 - Se o pessoal médico permitir convide alguns amigos para que venha visitá-lo ao hospital. A criança viverá momentos inesquecíveis com os seus amigos.

6 - Se a internação no hospital for longa anime o seu filho com um presente-surpresa, principalmente nos dias que notar que ele se encontra mais desanimado.

7 - É importante que a criança não se sinta sozinha ou isolada. A família é um fator importante na sua recuperação. Incentive a comunicação do seu filho com os outros membros da família através de visitas, cartas, telefonemas, etc.

8 - Crie uma agenda diária de todas as atividades que o seu filho terá que desenvolver no hospital. A criança seguirá as normas com mais facilidade e segurança. Por exemplo: hora do café da manhã, dos exames, do almoço, das brincadeiras e jogos, da leitura, de dormir, etc. 

9 - Tenha muita paciência e tolerância com o seu filho. Não se esqueça de que ele está vivendo uma situação diferente, e com certeza isso repercutirá no seu caráter, na sua forma de se comportar. Apóie o seu filho e demonstre todo o amor que sente por ele, nos bons e nos maus momentos. 

Fonte consultada: Cruz Roja. Infância hospitalizada. (www.infanciahospitalizada.es)

Como alimentar uma criança que está doente

Como alimentar uma criança que está doente

Quando as crianças estão doentinhas, ou seja, apresentam algum resfriado, tosse, febre, assim como võmitos ou diarréia, é muito normal que não queiram comer. No entanto, elas não podem deixar de comer, e por isso é importante saber com que alimentá-las segundo a doença que tenham.

Centrinho USP: Hospital de referência internacional em lábio leporino e fenda palatina

Centrinho USP: Hospital de referência internacional em lábio leporino e fenda palatina

O Brasil tem a sorte de contar com um dos melhores centros do mundo para tratar as deformações provocadas por lábio leporino e fenda palatina.  Você pode não acreditar mas é público e gratuito.  Chama-se Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da Universidade de São Paulo - HRAC/USP - Centrinho, de Bauru.

Recomendações para visitar o recém-nascido e a mamãe

Recomendações para visitar o recém-nascido e a mamãe

Caso vá ao hospital para visitar a um recém-nascido e a feliz mamãe, deve levar em conta algumas recomendações para que sua visita não se torne incômoda. Não abrace, beije ou queira carregar o bebê no colo. É estressante para o bebê e para a mamãe.

As doenças raras também afetam as crianças

As doenças raras também afetam as crianças

O dia 28 de fevereiro se celebra em todo o mundo o Dia das Doenças Raras. São doenças, na sua maioria, genéticas (80% dos casos), que afetam 8% da população mundial. 50% são crianças. Nascem com alguma mutação em algum dos seus genes.

0 comentarios